Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Évora favorito ao ouro

05 de Março, 2015

Nelson Évora é o grande favorito para a medalha de ouro no triplo salto

Fotografia: AFP

Nelson Évora é o grande favorito para a medalha de ouro no triplo salto, nos Campeonatos da Europa, destaca-se de forma muito clara na delegação portuguesa que vai competir em Praga, de sexta-feira a domingo. Aos 30 anos, o triplo saltador português, campeão olímpico em 2008 e mundial em 2007, está de novo em grande forma e lidera o ranking com 17,19 metros, a pouco mais de dez centímetros do seu recorde nacional em pista coberta.

Depois de 2009, ano em que ainda foi vice-campeão mundial, Nelson Évora foi acometido por uma série de lesões, algumas graves, como a fractura da tíbia que o afastou dos Jogos Olímpicos de 2012. Ainda no ano passado, viu a época de inverno terminar cedo com uma artroscopia no joelho, tendo regressado no verão para apenas ser sexto nos Europeus ao ar livre.

Agora em Praga está em primeiro nas listas de apostas, para ser finalmente campeão da Europa - o seu melhor, a este nível, é a medalha de prata nos Mundiais indoor de 2008, ano em que fixou o recorde nacional em 17,33. Esta época, lidera as listas europeias, com 17,19, feitos no recente Nacional de Clubes, à frente do espanhol Pablo Torrijos (17,03, novo recorde de Espanha) e dos russos Dmitry Sorokin (16,94), Aleksey Fyodorov (16,91) e Dmitry Chizhikov (16,89). Com sete atletas na capital da República Checa, Portugal tem uma das menos numerosas delegações de sempre e não aponta para mais medalhas além da esperada para Nelson Évora.

Patrícia Mamona, no triplo feminino, também pode ser finalista, mas dificilmente mais do que isso. Patrícia Mamona, vice-campeã europeia absoluta em 2012, mas inesperadamente fora da final em 2014 (foi 13ª e primeira não qualificada), começou a época de forma consistente e tem como melhor registo 14,10 metros, na sua última prova.

Embora a Marca apenas a coloque como décima do ano entre as 23 atletas inscritas, a atleta do Sporting tem vindo a registar bons progressos e é natural que venha a aproximar-se ou até ultrapassar o recorde nacional de pista coberta, fixado no ano passado em 14,36, o que lhe ia permitir estar na luta pelas medalhas. Na ausência da ucraniana Olha Saladukha, campeã europeia de pista coberta em 2013 e de ar livre em 2014, a grande favorita é a russa Yekaterina Koneva, já com 14,68 esta época e que foi campeã mundial há um ano.