Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ex- Campeo critica Organizao Rali Dakar

13 de Janeiro, 2014

Actual edio do rali Dakar est a ser encarada como das mais penosas na histria da competio

Fotografia: AFP

O motard português Paulo Gonçalves, campeão do mundo de todo-o-terreno, criticou a organização do Dakar, de que desistiu por sujeitar os pilotos a condições extremas. “Em dia de descanso na mais dura prova de motores do Mundo, é impossível desviar as atenções da fatídica quinta etapa.

O calor atingiu limites impensáveis (47ºC) e deixou marcas”, começou por dizer Paulo Gonçalves e recordou a morte do belga Eric Palante, que se suspeita ser causada pelo calor extremo e desidratação.

De acordo com o motard português, ao contrário de Palante, outros pilotos pediram ajuda à organização, foram resgatados de helicóptero, “quase a desfalecer, das elevadas temperaturas”. ‘Mas, depois da tragédia, chegam os mais insólitos relatos. É que vários pilotos tiveram alucinações’, contou Gonçalves.

Conforme o campeão do mundo de todo-o-terreno, alguns, depois de emitir o alerta, protegeram-se do calor com as roupas e aguardaram, enquanto outros, quando foram alcançados por equipas da organização do Dakar, ‘falavam e cumprimentavam pessoas do público... imaginárias’.

«O caso mais estranho foi de um piloto, que a organização não revela o nome, que correu cerca de 500 metros. Quando foi 'resgatado' disse que estava a fugir de extraterrestres, que o vinham a perseguir», relatou.

Paulo Gonçalves foi forçado a desistir do Dakar uma vez que a sua moto pegou fogo durante a etapa.Entretanto, o director do rali Dakar, David Castera considerou sábado que a actual edição da prova de todo-o-terreno está a ser mais difícil do que previsto, mas não mais perigosa do que as edições anteriores.

“A chuva e o calor acentuaram as dificuldades.Sabíamos que era difícil, mas não tanto”, reconheceu David Castera no único dia de descanso da mais importante das provas de todo-o-terreno.

Para o director do Dakar, a segunda semana de competição deve ser menos dura “em termos de temperaturas”, com a comitiva a entrar em terrenos ‘mais clássicos’ e menos desafiantes para os pilotos.

«O Dakar'2014 é mais duro do que outras edições, mas não mais perigoso», garantiu.Na sexta-feira, o motard belga Eric Palante foi encontrado morto pelo carro vassoura da prova torna -se o 23º piloto a morrer em competição. As causas da morte de Palante são ainda desconhecidas.