Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Exames mdicos dominam preparao

Melo Clemente - 21 de Janeiro, 2015

Angolanos procuram quarta presena consecutiva nos Jogos depois da estreia em 2004 em Atenas onde Jos Sayovo brilhou

Fotografia: Nuno Flash

Exames médicos e avaliação da condição física vão dominar a primeira semana de preparação das pré-selecções de atletismo para portadores de deficiências, em ambas as classes, que projectam os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, Brasil, competição agendada para 2016.

Hoje, os comandados de José Manuel "Zemas" efectuam no Estádio dos Coqueiros a segunda sessão de treinos, virada essencialmente para a recuperação da componente física. De acordo com o programa de preparação a que tivemos acesso, as pré-selecções nacionais vão alternar os trabalhos de campo com a realização dos indispensáveis exames médicos, para se aferir o estado de saúde dos pré-convocados.

Os exames médicos estão a ser realizados no Centro Nacional de Medicina Desportiva. As pré-selecções nacionais de atletismo na classe dos visuais e com deficiência motora e intelectual vão disputar o Meeting Internacional da Tunísia, o Open Internacional de Lotarias de São Paulo, Brasil, e Campeonato do Mundo, provas selectivas aos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro.

O Metting Internacional vai ser disputado de 20 a 26 de Março do ano em curso, o Open Internacional está previsto para 20 a 25 de Abril, ao passo que o Campeonato do Mundo para Cegos vai decorrer de 10 a 17 de Maio, em Seul, Coreia.

Os angolanos vão competir no Campeonato do Mundo de Doha, Qatar, de 19 a 28 de Outubro.Para os compromissos internacionais acima referenciados, o seleccionador nacional, José Manuel "Zemas", convocou 31 atletas, sendo 17 com deficiência visual e 14 com deficiência motora e intelectual.

As pré-selecções nacionais trabalham em regime de concentração e têm o quartel general montado na sede do Comité Paralímpico Angolano (CPA), sita no Complexo da Cidadela Desportiva, em Luanda.

Depois de estrear-se numa fase final dos Jogos Paralímpicos em 2004, em Atenas, Grécia, com o internacional angolano José Sayovo a fazer história, ao conquistar três medalhas de ouro e os respectivos recordes, nas disciplinas dos 100, 200 e 400 metros, Angola busca a sua quarta presença consecutiva num evento do género.

Entretanto, José Bento Chamoleia, a nova estrela do atletismo paralímpicio e o veterano José Sayovo são as principais referências do combinado nacional, isto na classe dos visuais.

A pré-selecção de atletismo visual está constituída pelos seguintes atletas: José Chamoleia, Fernando Simão, Júlio Paiva, José Sayovo, Octávio dos Santos, João Feliciano, Maria da Silva, Esperança Gicasso, Severina Salussinga, Befilia Nbuiyo, Catarina Francisco e Eduardo dos Santos, todos da classe T11 (deficiente visual total), Joaquim Manuel, Dinis Kuyowisa, Rode Fernando e Helena Manuel, classe T12 (deficiente visual parcial).

Já a pré-selecção nacional dos atletas com deficiência motora e intelectual conta com os seguintes atletas: Gomes Pedro, Guerra Cassinda, ambos da classe T20, João José, Artur Chimbungo, classe T38, Alcides Festo e António Rock, classe T54, Alberto Lussasse e Pedro Bianda, T46, Alberto José e Silvestre, T47, Lucrécia Salomão, T37, e Laureta Cassinda e Janeth da Piedade, T54.

REVELAÇÃO
Comité assegura
todas as condições


A direcção do Comité Pralímpico Angolano tem criadas todas as condições para que as pré-selecções nacionais consigam uma participação airosa nas mais diferentes provas internacionais, competições selectivas aos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. A revelação foi feita ao Jornal dos Desportos por António Manuel da Luz, secretário-geral do organismo que tutela a prática do desporto adaptado no país.

De acordo com aquele responsável, depois da estreia em 2004, é imperioso que Angola consiga manter a sua regularidade em eventos do género.
"Felizmente temos todas as condições criadas para que as nossas selecções possam participar nestas provas que são selectivas para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Angola já é habitual em Jogos Paralímpicos e é com este espírito que vamos à procura do passe de acesso", asseverou António Manuel da Luz.

A primeira fase de preparação vai decorrer toda ela na capital do país, mais concretamente no Estádio dos Coqueiros.O Campeonato Nacional de Corta Mato, marcado para Luanda, no mês de Março, vai servir de antecâmara ao Meeting Internacional da Tunísia.António Manuel da Luz fez saber ainda que estão igualmente previstos estágios para as duas pré-selecções nacionais.
MC