Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Expectativa para o GP de Sochi

22 de Setembro, 2018

Hamilton e Vettel tm desafios to importantes como a conquista de mais vitrias

Fotografia: AFP

O Grande Prémio da Rússia é realizado desde 2014 no circuito de Sochi. Desde a sua estreia, tem tido um convidado de luxo: nada mais nada menos que Vladmir Putin, Presidente da  Rússia. A prova inaugural teve como vencedor Lewis Hamilton, que estava fazer a sua segunda temporada nas flechas prateadas (Mercedes), depois de ter tido luta renhida com o seu colega Nico Rosberg, que terminou na segunda posição.
A pista de Sochi parece que foi um cenário desenhado para os carros da Mercedes até 2017, pois apenas os pilotos das flechas prateadas venceram as corridas da Rússia, disputada no parque olímpico de Sochi.
O último vencedor do Grande Prémio de Sochi  foi Valteri Bottas  em 2017. Antes, Lewis Hamilton obteve duas vitórias (2014 e 2015) e Nico Rosberg uma (2016).
Os dias de glória da Mercedes em Sochi, podem chegar ao fim, pois, se, nos anos anteriores,  a Mercedes se apresentava como a toda poderosa, em Sochi, devido à sua consistência e velocidade; este ano, a Ferrari aparece como a grande favorita à conquista do primeiro lugar.
O ritmo de corrida, apresentado pelos carros da escuderia do cavalinho rampante, poderão “meter” Sabastian Vettel ou quem sabe “Kimi Raikkonen” nos lugares mais altos do pódio, mas será que Lewis Hamilton e Valteri Bottas da Mercedes irão deixar os seus créditos em mãos alheias?
Olha que eles vão querer continuar a ostentar o título de “equipa a bater em Sochi”, durante mais alguns anos. Não foi por acaso que, em Singapura, no circuito de Marina Bay, eles (Hamilton e Bottas) venceram os pilotos da Ferrari (Vettel  e Raikkonen), numa corrida em que se prognosticava uma vitória da Ferrari e de Sebastian Vettel, mas os céus nocturnos asiáticos sorriram para “Lewis Carl Davidson  Hamilton”.
A Mercedes nunca deixou de crer nos seus pilotos e voltou a atropelar a Ferrari, pois Hamilton saiu à frente de Vettel e Bottas à frente de Raikkonen.
Uma situação que está a suscitar comentários negativos na imprensa italiana e a pergunta do dia é: “porque é que Vettel, mesmo tendo um carro superior ao de Hamilton, ainda não conseguiu estar à frente na pontuação”?  Se, por um lado, a imprensa italiana está a questionar Vettel, por outro, não tardará para a alemã questionar a Bottas, em relação a Kimi (já que Hamilton consegue estar à frente de Vettel…). No fim das contas, a Ferrari é que está a falhar nos circuitos, onde lhe é proibido falhar.
O nome do vencedor do Grande Prémio da Rússia, que se disputa em Sochi, no dia 30 de Setembro de 2018, é ainda uma incógnita, mas já mexe com o coração dos amantes da alta velocidade. Serão os pilotos da Red Bull Renault, Daniel Ricciardo e Max Verstappen, capazes de dar luta ou vencer o Grande Prémio da Rússia? Olha que este último, conseguiu bons resultados nas últimas corridas, na Itália conseguiu um terceiro lugar e em Singapura um segundo, e deseja continuar na marcha de óptimos resultados.
No entanto, a Ferrari (Vettel) e a Mercedes (Hamilton) estão num animado ambiente de “toma lá da cá”, o que quer dizer ‘ora vences tu, ora venço eu’, e isto pode arrastar-se até a Rússia, em Sochi, já que eles venceram as últimas seis corridas: Sebastian Vettel (Inglaterra em Silvertone, Bélgica Spa-Francorchamps) e Hamilton (Alemanha em Hockenhiem, Hungria Hungaroring, Itália Monza e Singapura Marina Bay).
Nesta altura, tanto Hamilton como Vettel têm desafios tão importantes como a conquista de mais vitórias, para se superarem um ao outro rumo ao quinto título, e parece que o piloto inglês pode estar a pôr uma mão e meia, para superar Vettel na luta pela conquista do quinto título.
Entretanto, por um lado, temos também Valteri Bottas, que foi o último vencedor do Grande Prémio da Rússia e deseja vencer, mais uma vez, para igualar o seu colega Lewis Hamilton com duas vitórias, mas esta hipótese pode ser “ofuscada”, caso o piloto inglês esteja no segundo lugar, pois apesar de o inglês alegar que não deseja este tipo de ajuda, bem no fundo, seria uma ‘pré’-visão vista e ele poderia adorar, pois no passado já aconteceu na Ferrari, com Michael Schumacher e Rubens Barrichello.
Então, no dia 30 de Setembro de 2018, vamos assistir o Grande Prémio da Rússia. Com um percurso de 5.853 quilómtros, 53 voltas, zonas de DRS, rectas, curvas e contra curvas, os amantes do mundo das rodas terão oportunidade de assistir acirradas lutas entre as equipas e os pilotos. Há perspectiva de uma prova renhida, já pode começar a desenhar-se certos lugares inatingíveis entre os dez primeiros lugares.