Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Faand evita ausência angolana

Silva Cacuti - 19 de Setembro, 2014

A ausência de uma equipa angolana na competição na Tunísia pode custar muitos milhões aos cofres da Federação Angolana de Andebol

Fotografia: Santos Pedro

O quadro de participação das equipas angolanas na 36ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos, em que apenas equipas femininas têm presença garantida, pode não ser definitivo, conforme admitiu Ilídio Cândido, vice-presidente desportivo da Federação Angolana de Andebol (Faand).

O responsável revelou que a instituição se desdobra em contactos para alterar o quadro de indisponibilidade das equipas masculinas. "Estamos a tentar encontrar uma solução para evitar a penalização pela Confederação Africana de Andebol. No final da próxima semana, vamos poder revelar a equipa, porque estamos a fazer contactos", disse.

Segundo apuramos, a ausência de uma equipa angolana pode custar aos cofres da Federação Angolana cerca de 30 mil dólares (cerca de três milhões de kwanzas) de multa, porque a instituição inscreveu para a competição continental o campeão angolano. Uma fonte da Federação Angolana confidenciou-nos de que a instituição tenta negociar com um clube para reverter o valor da multa a favor da equipa e permitir que Angola inscreva o seu nome na prova livrada da multa prevista pela falta de comparência.

A direcção do Petro de Luanda, campeão nacional, recorde-se, emitiu um comunicado em que anuncia a ausência da sua equipa masculina na competição "por razões logísticas". Aliás, era sabido que o emblema tricolor não tinha condições de jogar qualquer competição internacional, porque o elenco de Tomás Faria não tem o andebol masculino como modalidade prioritária.

O Petro de Luanda venceu o campeonato nacional seguido pelo 1º de Agosto e Interclube. O 1º de Agosto, vice-campeão nacional, também não se mostra disponível a jogar a Taça dos Clubes Campeões Africanos.


CAMPEÕES AFRICANOS
Progresso atrasa o ataque à Taça


A equipa sénior feminina de andebol do Progresso do Sambizanga, terceiro representante angolano na 36ª edição da Taça dos Clubes Campeões, prevista para 8 a 19 de Outubro, está atrasada nos aspectos da preparação, comparativamente, ao Petro de Luanda e 1º de Agosto, duas outras equipas inscritas na prova.

O conjunto do Sambizanga cumpre um plano de preparação em Luanda. Há pouco mais de 15 dias da competição, o Progresso é a única equipa angolana que não tem as suas atletas concentradas. As jogadoras saem de casa para os treinos e no final fazem o trajecto inverso. No Petro de Luanda, Vivaldo Eduardo concentra hoje o grupo no recinto do Dream Space. O 1º de Agosto tem já as atletas em regime de concentração e segue na próxima quarta-feira para Espanha, onde vai estagiar para atacar a prova africana.

Questionado sobre o plano de preparação, o treinador da equipa do Sambizanga, Armando Gumbe, disse que está a preparar o grupo, mas desconhece os planos da direcção sobre a concentração do grupo ou estágio.

O treinador não sabe, inclusive, a data de chegada de Mpay Sinkote Sidony, a pivot camaronesa que, em princípio, deve reforçar o conjunto sambila por duas épocas. A situação do Progresso do Sambizanga contraria as ambições do seu presidente de direcção, Paixão Júnior, que recentemente estabeleceu como meta mínima a repetição do terceiro lugar na competição africana. A equipa do Progresso do Sambizanga vai hoje ao reduto do Dream Space para defrontar o Petro de Luanda, no segundo jogo amistoso entre as duas formações.
SILVA CACUTI