Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

FAF e FAFUSA preparam união

Julio Gaiano, Benguela - 16 de Fevereiro, 2015

Processo de negociação prossegue a bom ritmo e nos próximos dias as partes podem efectivar a união entre as duas federações

Fotografia: António Soares

O processo de fusão entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e a Federação Angolana de Futebol de Salão (Fafusa), pode acontecer em Marco próximo, com a nomeação de uma das vice-presidência na estrutura do órgão reitor da modalidade no país, assegurou o vice-presidente, Eliseu Major, à margem da conferência de imprensa que serviu de apresentação das equipas técnicas das diferentes selecções nacionais.

O dirigente assegurou que o processo de negociação prossegue a bom ritmo e nos próximos dias, as partes podem efectivar a união entre as duas federações para cumprirem com o propósito proposto em encontros anteriores. “Tivemos um longo processo de negociação para chegarmos a este consenso que pode trazer grandes benefícios para o futebol de salão no que tange à massificação e fomento de outras actividades do foro interno, apesar de que as selecções nacionais, numa primeira fase, continuarem sob gestão directa da Fafusa”, precisou.

Eliseu Major disse que em função da crise financeira, decidiram redefinir todas as actividades desportivas programadas para este ano, dando primazia aos campeonatos nacionais, os principais torneios e alguns cursos a serem suportados pela FAF, já no quadro da união das duas federações. Segundo o nosso interlocutor, para este ano as partes acordaram a realização dos Torneios Internacionais da Paz, em Abril e alusivo aos 40 anos da Independência Nacional, para Novembro.

A par destes eventos, numa organização conjunta Fafusa/FAF está programado para Setembro um curso para técnicos e árbitros do nível I, acto que pode repetir-se em Novembro. Eliseu Major referiu que neste momento, têm registadas cerca de 67 equipas em todo país e pretendem manter a política de massificação com maior realce para as escolas, núcleos empresariais e  clubes, com o intuito de tornarem a modalidade mais nacional e abrangente.

“Precisamos de manter a modalidade mais actuante e praticável nas dezoito províncias do país ao mais alto nível para torna-la mais atractiva no seio da a juventude e não só”, disse o vice-presidente da Fafusa.

PATROCÍNIO
Direcção estuda assinatura de parceria


A direcção da Federação Angolana de Futebol de Salão (Fafusa) está em vias de celebrar um acordo de parceria com uma empresa para  apoio às provas internas e das selecções seniores masculinas e femininas. Sem precisar o nome da  empresa e os valores envolvidos na sociedade, Eliseu Major assegurou que com o referido acordo, muitos dos problemas podem ser minimizados.

Sublinhou que, à semelhança do que acontece com a Federação Angolana de Basquetebol, em relação ao Banco BIC, patrocinadora do campeonato nacional, a referida empresa passa a ser a responsável pelo direito da organização dos campeonatos nacionais em seniores, ligando o seu nome à prova.

“Estamos a trabalhar nos últimos detalhes e espero que nos próximos dias o acordo de parceria com  a empresa seja uma realidade. Como é de conhecimento público, a Fafusa tem um vasto programa de actividades e sem apoio não pode materializá-los na íntegra. Acredito que com este acordo que vamos assinar nos próximos dias a modalidade vai sair a ganhar”, precisou.

O vice-presidente da Fafusa revelou que a federação, para as actividades programadas num ano, gere cerca de dez milhões de kwanzas. Deste valor, 60 por cento são suportados pelo Ministério da Juventude e Desportos e os restantes 40 por cento provêm de patrocínios de empresas privadas e dos clubes (taxas de inscrição e vendas de formulários). Recordou que em função do momento actual que o país enfrenta, o ministério não pode suportar na totalidade os valores orçamentados pela direcção da Fafusa.

EQUIPAS TÉCNICAS
Federação indica
seleccionadores


A direcção da Federação Angolana de Futebol de Salão apresentou recentemente, em conferência de imprensa, na cidade de Benguela, a equipa técnica das selecções nacionais, visando os compromissos que se avizinham. Para seleccionador sénior masculino, foi indicado o ex-treinador do Grupo Desportivo da ENE de Luanda, Libânio da Conceição Lopes, tendo como adjunto o técnico da Angola Telecom de Benguela, Martinho Santana.

Na categoria feminina, a direcção da federação nomeou José Pedro Celestino (principal) e Wilson Ntyamba (adjunto), quadros ligados à Associação Provincial de Futebol de Salão do Namibe (APFSN), ambos responsáveis pela reestruturação da modalidade na região sul do país. A nomeação das equipas técnicas mereceram duras criticas de pessoas ligadas à modalidade na Província de Benguela, que em gesto de protesto não compareceram na conferência de imprensa, apesar do convite. Um gesto que mereceu a reprovação dos responsáveis da Fafusa presentes no acto.

REACÇÃO
Director técnico da Fafusa
esclarece mal-entendidos

O director técnico nacional do Fafusa, Adérito Barreto, afirmou que a nomeação das equipas técnicas nacionais obedeceram os critérios definidos pelo órgão federativo. Esclareceu que o currículo de cada um dos integrantes, pesou na escolha dos mesmos. “Apesar de não ser obrigação da Fafusa, tivemos todo o cuidado de auscultar as associações provinciais (APFS), alguns clubes e núcleos no sentido de informamos sobre as reais pretensões que levaram a federação indicar estes técnicos para assumirem as respectivas selecções", descreveu.

Minimizou o facto de algumas pessoas contestarem, mas reconheceu que cumpriram com todos os pressupostos exigidos para o efeito.  "Felizmente, fomos bem entendidos, daí o consenso na hora da nomeação. Aliás, é este espírito de trabalho que se enquadra na gestão da nossa direcção”, explicou o director técnico da Fafusa. 

O Jornal dos Desportos soube de Adérito Barreto que a pré-selecção nacional é convocada no próximo dia 7 de Março, após a realização dos jogos da Supertaça, envolvendo as formações de Angola Telecom de Benguela e o GD da ENE de Luanda (masculinos) e o PC de Benguela  e o Coprat de Luanda (femininos). O pavilhão do Benfica do Sumbe acolhe as  partidas.