Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Faia" ganha bolsa do Fundo de Apoio

Silva Cacuti - 30 de Setembro, 2014

Judoca angolana conquistou recenetemente a medalha de ouro na Ilhas Maurícias

Fotografia: Jornal dos Desportos

O apoio a ser concedido à judoca angolana campeã continental Antónia de Fátima "Faia" através do Comité Olímpico Angolano (COA)e da Federação Angolana de Judo é o destaque dos contratos- programas a serem firmados hoje, às 15h30 na sede do Fundo de Apoio à Juventude e Desporto (FAJD) sita na Galeria dos Desportos.

A cerimónia a ser presidida por Cardoso José, presidente do FAJD vai  também ser contemplado o Comité Paralímpico Angolano (CPA) que vai ter cabimentada verbas para acções formativas de dirigentes.
Cardoso José disse que as instituições contempladas “são as que fizeram chegar as suas solicitações ao Fundo e que se enquadram naquilo que é o papel social do Fundo”.

O responsável disse que durante a cerimónia de hoje vão ser  anunciados os valores que conformam os apoios a serem concedidos. A  judoca Antónia de Fátima “Faia”  conquistou no mês de Junho, a medalha de ouro no africano das Ilhas Maurícias na categoria de menos 70 quilos.
A atleta angolana participou no mundial da modalidade, que decorreu em Moscovo de 25 a 31 de Agosto.

Quanto ao Comité Paralímpico Angolano, a instituição desenvolveu recentemente uma acção de formação na área de gestão e administração desportiva, para os presidentes e secretários-gerais das Associações provinciais do desporto para pessoas com deficiência. Participaram no evento mais de 40 formandos.
Para a cerimónia de assinatura dos referidos contratos- programa foram convidados membros do Governo, deputados da VII comissão da Assembleia Nacional, representantes das Associações juvenis e desportivas, entre outros.


JUDO
Federação lamenta
fraca participação


O presidente da Federação Angolana de Judo, Paulo Nzinga manifestou-se insatisfeito com a fraca participação na IIª edição do campeonato nacional de júnior unificado em ambos os sexos, terminado domingo no Uíge.

Apesar de reconhecer o recorde em termo dos atletas (174) em relação à primeira edição, realizada no Cuanza Norte, Paulo Nzinga referiu ser reduzido o número de cinco províncias na competição nacional, dada a divisão administrativa do país que contempla 18 províncias.

Considerou a falta de organização das direcções dos desportos nas respectivas províncias como uma das principais causas da ausência, avançou  que a selecção que vai participar nos jogos da SADC, em Dezembro, no Zimbabwe e no Africano do próximo ano vai ser constituída por atletas que evoluíram na prova do Uíge.

Para os jogos da SADC, avançou que o Judo pretende seleccionar três equipas em masculino e igual número em feminino.