Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Falta de dinheiro pode afastar equipas

22 de Abril, 2019

Provncia de Malange vai acolher o Campeonato Nacional de basquetebol em cadeira de rodas

Fotografia: Antnio Soares | EDIES NOVEMBRO

A realidade foi exteriorizada por António da Luz, secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA), a propósito da falta de apoios verificada aquando da realização da 14ª edição do Campeonato Nacional de Corta-Mato, disputado na cidade da Gabela, província do Cuanza Sul.
A preocupação de António da Luz tem a ver com a proximidade da próxima Competição Nacional, que é o torneio de apuramento ao Campeonato Nacional de basquetebol em cadeira de rodas, que a cidade de Malange acolhe de 10 a 18 de Maio próximo.
\"Estamos preocupados, porque só a deslocação das equipas está orçada em 1 milhão, 775 mil Kwanzas e depois tem outros gastos com alimentação e nós não temos este dinheiro. Tem faltado sensibilidade dos governos provinciais. Por exemplo, no campeonato de corta-mato, das 12 equipas participantes, tivemos que pagar desde a deslocação de 10 equipas. Fizemos, por isso, algumas cartas aos governos provinciais, para que apoiem as respectivas equipas. Se não houver este apoio, infelizmente muitas equipas não participarão\", disse.
O responsável considera que a falta de apoios não é somente algo atribuído aos governos provinciais, mas toda a sociedade e sector empresarial, em geral, tem-se mostrado indiferente às dificuldades do CPA, para fazer com que através da prática do desporto, muitas pessoas com deficiência se superem.
\"A participação das equipas nos campeonatos, devia orgulhar as estruturas das referidas províncias, mas o que temos visto é que ninguém se importa, então o CPA tem de assumir as despesas do atleta, desde que sai de casa, até o seu regresso\", desabafou.
Da Luz refere, que em breve o CPA vai estar envolvido na preparação do campeonato africano de futebol, que o país acolhe em Benguela, com pré-selecções, além das competições nacionais e realça que todo apoio é necessário para que haja êxito.
Angola, recorde-se sagrou-se, em 2018, campeã mundial de futebol com muletas.