Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Falta de infra-estruturas condiciona desenvolvimento

Gaudêncio Hamelay-Lubango - 28 de Setembro, 2016

Responsável na Matala anunciou projecto de desenvolvimento do andebol

Fotografia: Jornal dos Desportos

A falta de material, de apoios e de infra-estruturas desportivas, particularmente para as modalidades de basquetebol e andebol, condiciona o desenvolvimento do desporto no município da Matala, que dista 200 kms a leste da cidade do Lubango, província da Huíla.O único campo polivalente que existe no município, não oferece condições para a prática de algumas modalidades, devido ao piso estar impróprio para o efeito.

Gelson Carlos, professor de educação física, confirmou que a impraticabilidade de algumas modalidades no município, deve-se à escassez de campos para o efeito.“Temos o único campo polivalente, que não oferece condições, porque possui um tapete inadequado para certas práticas. O tapete facilita mais o futsal, e também o basquetebol que se remedeia, por enquanto, neste campo”, apontou.

Indicou que no tocante à outras actividades, há por exemplo, as modalidades que são mais baratas, mormente o futebol, que pode ser praticado num campo pelado ou num área que facilite a própria prática.“Nós vimos isso, às vezes o futebol a ser praticado nos bairros. É difícil porque no caso particular do basquetebol, há muito interesse por parte dos adolescente e jovens, que almejam praticar a modalidade, infelizmente, com um único polivalente não é possível.

O basquetebol precisa de uma estrutura como tal, para que seja possível”, lamentou.O responsável pela secção municipal da Juventude e Desportos, na Matala, Carvira Daniel, garantiu que o atletismo, karaté, futebol onze, basquetebol, andebol e judo, são as modalidades praticadas naquela parcela do território huilano, todavia, pouco divulgadas por falta de meios desportivos.

 “Encontramos dificuldades para realizar essas actividades, para a sua massificação. Realizamos uma vez ou outra as actividades de atletismo, karaté e judo. Nesta última, temos dificuldades no judo, devidos os tatames e no andebol por falta de bolas”, clarificou.Acrescentou que a modalidade de futebol, é frequente a sua pratica, por existirem meios para poder desenvolve-la. Carvira Daniel argumentou que o impasse  pretende-se essencialmente com a falta de meios desportivos.

 “O material humano, encontramos, mas os meios desportivos são difíceis. Muita criança em fase de massificação está disponível para aprender o ABC de basquetebol e do futebol, mas não temos meios”, frisou.O responsável pela política desportiva no município da Matala, anunciou estar em carteira um projecto de desenvolvimento do andebol,  por isso, apelou às entidades de direito, sociedade civil e classe empresarial a prestar o apoio para o bem do desporto no município.“Pedimos  ajuda às pessoas de boa fé no sentido de levarmos avante a massificação a nível municipal. Estamos abertos a dar ênfase à juventude, aos adolescentes e as crianças no nosso município”, ressaltou.