Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Faltou alegria e consagrao de dolos

30 de Dezembro, 2019

Fotografia: Dr

A - ARTUR DE ALMEIDA- Vai-se lá saber porque razão o mundo não morre de amores por ele. Mas na presidência da FAF, o homem tem mostrado que não chegou de favor ou caído das nuvens. Tem apresentado resultados, sobretudo no plano competitivo. Não conseguiu melhor que o seu antecessor no CAN de honras. No Egipto, mais uma vez, os Palancas “morreram na praia”. Mas a nível de formação há resultados palpáveis e indícios de um futuro promissor, bastando olhar para aquilo que foi o desempenho da Selecção Sub-17 no Campeonato do Mundo.

 

B - BASQUETEBOL - A \"bola ao cesto\" com um reinado que perpassou décadas, a nível do continente africano, tem vindo a definhar nos últimos tempos. Deixou de ser a nossa  galinha de \"ovos de ouro\". No ano que agora termina expôs as suas debilidades administrativas ao limite, que, queiramos ou não, são as que andam na base de uma competitividade sofrível, muito aquém dos níveis já patenteados. Depois de uns arranjos aqui e ali, ou de algumas cedências, recuos e avanços, o próprio presidente saltou do barco e meteu-se ao fresco. A notícia espalhou-se como um rastilho de pólvora. “Lapaji walenga”...

 

C - CHAMPIONS -  Muito à custa do empenho e dedicação das equipas do Petro de Luanda e do 1º de Agosto, verdadeiros papões do futebol cá do sítio, Angola logrou colocar, em 2019, duas equipas na Liga dos Clubes Campeões Africanos. Parecendo que não, este aspecto se reveste de suma importância, quanto mais não seja uma forma clara e inequívoca de mostrar ao continente, a vitalidade que vai pelo nosso futebol a nível de clubes. Pena é que na prova as coisas não estejam a correr à contento para os dois representantes. 

D - DINHEIRO - Diz-se, em linguagem popular, que o dinheiro  fala todas as línguas, quando o possuímos, e tem pernas ou foge quando escapa das nossas mãos. Na verdade, o dinheiro tem condicionado bastante o exercício salutar da actividade desportiva, sobretudo na alta competição. Muitos clubes queixam-se da falta de verbas, falham aos compromissos com os atletas ou com o pessoal administrativo. O ano de 2019 deu-nos a ver alguns episódios, que escapam à compreensão da espécie humana neste sentido, sendo a caso mais bizarro o do Progresso do Sambizanga, que viu a equipa de futebol retida no Moxico e do 1º de Maio que soltou o grito de Ipiranga.

 

E - ELEIÇÕES -  As associações Desportivas e Federações saem do presente ano notificadas, para o compromisso de renovação de mandatos em 2020. Portanto, é chegada a hora de acertar o que, eventualmente, não esteja bem em algumas federações, particularmente. No basquetebol pode ser o momento do acerto. Nas outras a ver vamos...

 

F - FOTOGRAFIA -  É com bons actos que se sai bem na fotografia. Esperamos que todos servidores do desporto, estejam, neste momento em que se fecha um ciclo temporal e se abre outro, cientes  de terem dado o seu melhor nos seus afazeres, e que 2020 seja exitoso e leve à concretização daquilo que, eventualmente, por motivos de índole vária, tenha sido adiado, e fiquem todos bem na fotografia.

 

G - GIRABOLA - A prova das multidões completou, em 2019, 40 anos. O seu tempo de vigência conta a partir de 8 de Dezembro de 1979. Não houve da entidade que superintende a modalidade sequer um sinal comemorativo ou de mera recordação, quem sabe com uma simples palestra. Se calhar, nem mesmo o presidente e o seu staf sabem quando começou o campeonato. Diga-se de passagem, aqui neste particular, a FAF meteu água.

 

H - HOMENAGEM - Os grandes campeões são merecedores de honras e de homenagens. A nossa homenagem, sem demérito a outros fazedores do desporto, vai para a selecção de futebol para amputados, que com mérito, conseguiu agregar ao título mundial, o título africano, no campeonato organizado em Outubro último em Benguela.

I - INFANTINO - Quase mesmo já a fechar o ano, o país recebeu uma ilustre figura do futebol mundial. Trata-se de Gianni Infantino, presidente da FIFA. Em menos de 24 horas trabalhou com as entidades do futebol no país. Visitou instalações desportivas, teve audiência com o Presidente da República. Mas o ponto alto da visita é, sem dúvidas, o apoio que promete ao futebol de formação no país.

 

J- JACOB  -  Quando em tempos veio a público anunciar, que na próxima eleição já não seria ele o candidato à presidente da Federação Angolana de Ginástica, poucos tomaram-lhe por sério. Afinal o homem bem sabia do que dizia e do que andava a fazer. Presenteado, em Novembro último, com o cargo de administrador municipal de Cacuaco, Auxílio Jacob é para a ginástica uma carta fora do baralho.

 

L - LIGA - A nível de futebol tem-se falado muito da implementação da Liga. Houve momentos em que o tema quase tomou contornos próximos do êxito. Mas 2019 foi marcado por um silêncio sepulcral neste quesito. Com o sumiço de Rui Campos, que juntamente com Alves Simões se batia para ver concretizado o objectivo, tudo ficou em águas de bacalhau. Vamos ver se 2020 assinala a reabertura do dossier.

 

M - MILITARES - Mercê da sua excelente organização e eficiência administrativa, o  1º de Agosto mantém a sua aura ganhadora nas disciplinas em que se faz representar. No futebol tem sido uma máquina demolidora, num ciclo que vai para uma década. Em 2019 venceu o Girabola disputado quase a \"contra-relógio\" , na tentativa de ajustar a nossa prova ao calendário dos outros países africanos. E na edição em curso, trava com o seu arqui-rival do \"Eixo-Viário\" um interessante \"corpo-a-corpo\", estando a um ponto deste, no desfecho da primeira volta.

 

N - NOVIDADE -  Quatro estádios foram construídos de raiz, para receber o CAN’ 2010. Contudo, ao longo destes dez anos transcorridos não tiveram a serventia que deviam ter, com excepção ao 11 de Novembro e o Ombaka. Os estádios do Chiazi e da Tundavala ficaram transformados em verdadeiras reservas de caça, sem caçadores. No ano que termina, soou a boa nova, de que os mesmos recintos passam para unidades orçamentadas, de modos a que possam, ao menos, ter garantida a sua manutenção. É algo que devemos aplaudir.

 

O - ORGANIZAÇÃO - A província de Benguela foi sede, em Outubro último, do Campeonato Africano de futebol para amputados. Os países participantes deram nota positiva à organização do certame, e ficou provado que é por mero capricho das pessoas que quase tudo é confiado à capital do país. Afinal Angola não é só Luanda. As outras províncias têm também potencial para acolher, e com sucesso, grandes eventos internacionais.

 

P - PRESIDENTE - Desde que chegou, ao Palácio da Colina de São José, excepto no primeiro ano, o Presidente da República aproveita as festividades do 11 de Novembro, para condecorar diferentes figuras da sociedade civil. João Lourenço, também ele um homem de vivência desportiva, nunca se esqueceu do sector desportivo, e nas condecorações deste ano  coube a vez às selecções seniores feminina e masculina de andebol, à selecção de natação, à selecção de xadrez, à selecção de vela na classe optimst. Um gesto que enobrece e nobilita a alma, assim como valoriza a classe.

 

Q - QUALIDADE - Vai faltando alguma qualidade competitiva nas provas internas. A situação está relacionada à falta de condição financeira, como decorrência da recessão económica que fustiga o país. Basta ver que o campeonato nacional de basquetebol está condicionado, e o Girabola a ser aquilo que é. Avançar para outras modalidades seria mero desperdício de tempo e de espaço.

 

R - RISCO - Já há uns anos em que se proibiu o uso do segundo anel da Cidadela Desportiva, sob risco de desabamento. Há coisa de duas semanas houve um segundo aviso sobre o risco das toneladas de betão, que fazem as bancadas daquele anel virem cima abaixo. Portanto, pensamos que se está a minimizar uma situação de tamanha gravidade. Pois, o desabamento de parte da bancada, mesmo sem gente, tende a fazer estragos onde cair. Até onde vai o nosso conhecimento, aí circula gente e se estacionam veículos. O ano acabou e ninguém moveu palha...

 

S - SÃO SILVESTRE - A prova pedestre de fim de ano corre amanhã nas ruas de Luanda. Sem mais aquele representatividade do passado, a organização conjugou algum esforço no sentido de devolver à prova o seu carácter internacional, mas sem êxito. Para mal dos pecados já não há empresários com pulso para mandar vir etiopes, eritreus  e quenianos. Acabaram-se os Kangamba...  

 

T - TONI COSANO -  Será o salvador da pátria ameaçada?  Queiramos ou não, o homem parece ter agarrado o boi pelos cornos. Ao menos os petrolíferos já jogam um futebol alegre e vistoso. É prova disso a excelente primeira volta do campeonato que teve. Caso venha ter o mesmo fôlego no segundo turno da prova, pode devolver os sorrisos à sua massa associativa e tirar a equipa do longo jejum de títulos. 

 

U - UNITEL - Era até o ano passado patrocinador da maior prova de basquetebol, que, no abrigo do acordo celebrado, passou a chamar-se Unitel-Basket. O certo é que a empresa de telefonia móvel retirou o patrocínio por razões não suficientemente clarificadas. Claro que os acordos prevêem clausulas de rescisão. A verdade é que a modalidade saiu beliscada do afaire.  Quem será o próximo sponsor?  

 

V - VALSILJEVIC - Na sequência do mau clima que reinou no seio da Selecção Nacional ao longo da disputa do Campeonato Africano das Nações \"Egipto\'2019\", o técnico Srdjan Vasiljevic viria a bater com a porta. A decisão a muitos não agradou. Pois, o sérvio vinha dando mostras de que sabia o que fazia, à despeito dos resultados obtidos à frente da equipa e nas condições, quase penosas,  em que desenvolvia o seu trabalho.

 

X - XADREZ - Acostumou-nos com partos de Mestres Internacionais. Foi assim nos anos 80 com a geração de Alexandre do Nascimento, Francisco Briffel, Armindo de Sousa e outros, e na década seguinte com Adérito Pedro, Valdemir Pina, Eugénio Campos etc, etc. Em 2019 a novidade foi sem dúvida Luzia Pires, que se consagrou campeã africana júnior em Accra. Fazemos votos que a estrela brilhe na sua carreira.

 

Z - ZITO -  Chamam-lhe mais por Zito Luvumbo. Tem sido um activo de grande serventia da selecção nacional Sub-17, que esteve no Campeonato do Mundo do Brasil. O jovem atleta deu nas vistas e conquistou simpatias, muito à custa da sua capacidade interventiva em campo. Acusaram-lhe de algum individualismo, mas não deixou os créditos em mãos alheias, de tal sorte que agora está aí uma chuva de convites, que lhe podem escancarar as veredas do futuro.