Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

FAN perspectiva melhoria de condições

Helder Jeremias - 15 de Agosto, 2016

Clube de Tiro e Caça do Lubango vai acolher prova referente à sexta jornada do campeonato nacional

Fotografia: Nuno Flash

A direcção do Clube da Força Aérea Nacional está atarefada na criação de condições para que os seus atiradores tenham uma participação melhor conseguida no Grande Prémio Nossa Senhora do Monte que o campo de tiro do Clube de Tiro e Caça do Lubango vai albergar de 26 a 28 do presente, pontuável para a sexta jornada do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico.

A informação foi avançada pelo chefe de departamento de tiro do referido clube, Demósthenes Solunga, quando fazia um balanço da equipa da qual fez parte na disputa do Grande Prémio Zeca França, realizado dia 31 de Julho, no campo do Regimento de Defesa Antiaérea, localizado no bairro Cantinton, em alusão ao 39º aniversário do 1º de Agosto.

O responsável reconhece que a falta de relva na parte frontal do fosso olímpico resultou na diminuição acentuada dos índices produtivos de todos os concorrentes, uma vez que a areia vermelha não permitia muito contraste ao alvo em projecção, mas garantiu empenho dos responsáveis do clube para que tal situação seja ultrapassada a breve trecho.

Equipado com dois fossos olímpicos modernos, o campo de tiro da Força Aérea Nacional tem sido um dos maiores pólos de massificação da modalidade, depois da eliminação do campo do clube 1º de Agosto que se encontrava localizado no complexo Miramar, em virtude da sua transformação em centro de estágio para atletas do clube Militar.

O campo do Cantinton, de acordo com Demósthenes Solunga, "está disponível" para os atiradores de todos os clubes que queiram realizar as suas sessões de treinos em preparação para os eventos em que estejam envolvidos, desde que haja disponível material para o efeito, estando marcadas várias sessões colectivas no período que antecede a disputa do grande Prémio Nossa Senhora do Monte.

Luanda conta, desde o mês de Junho, com o mais moderno fosso olímpico do país, pertencente a equipa do Interclube, localizado na zona do Tanque Serra. A província da Huíla conta com dois campos pertencentes ao Clube Socolil (localidade dos Gambos) e Clube de Tiro e Pescas do Lubango, ao passo que o Clube de Tiro Caça e Pescas do Lubango está a erguer, que poderá ser o maior campo do país, com vista a acolher o campeonato Africano, entre 2017 e 2018.


NO LUBANGO
Ricardo Lopes acredita na obtenção de mínimos


O atirador do Interclube, Ricardo Lopes, está convicto na obtenção de mínimos satisfatórios na disputa da sexta jornada do campeonato nacional de fosso olímpico que a província da Huíla vai acolher  de 26 a 28 do corrente, no âmbito das festas da cidade do Lubango, denominado Grande Prémio Nossa Senhora do Monte.

Depois de uma classificação pouco airosa no Grande Prémio Zeca França, organizado pelo clube 1º de Agosto em tributo ao antigo atirador do clube anfitrião e da selecção nacional, falecido em Dezembro de 2015, Ricardo Lopes acredita que as coisas sairão de feição nas terras altas da Chela,  por se tratar do local onde reside e estar bem familiarizado com o respectivo campo.

O vice campeão nacional está satisfeito com o ritmo dos preparativos em torno da prova, numa estrita colaboração entre o clube anfitrião, autoridades da província e a direcção da Federação Angolana de Tiro, liderada pelo General Francisco Afonso "Anga", sem descurar do empenho que os demais clubes estão a envidar r para que a presença dos seus atiradores em tempo útil no local seja consumada.

Depois de ter defendido com esmero as corres do Team Socolil na época passada, Ricard Lopes está empenhado em ajudar o Interclube a obter a melhor classificação possível, numa altura em que a concorrência do 1º de Agosto, Força Aérea Nacional, Socolill entre os emblemas de maior expressão, evidencia a necessidade de "caprichar" nos disparos sobre o alvo em movimento.

Com a presença do campeão nacional em título, Paulo Silva, depois de representar o país nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Ricardo Lopes vê aumentado o número de candidatos à conquista do cobiçado troféu na província das fendas da Tundavala, ao lado dos experientes Francisco Gastão, Jorge Perestrelo e Paulo Guga, cujas performances ao longo da época lhes permitiu alcançar as posições mais confortáveis ao nível da tabela classificativa.

"Tenho a certeza que será uma grande prova, tal como a cidade do Lubango nos habituou ao longo das épocas transactas. Acredito que nenhum atirador que se preze se sentirá bem sem fazer parte desta grande festa. Qualquer atirador poderá sair vitorioso, por isso é que nos estamos a preparar",  garantiu Ricardo Lopes.    
HJ