Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Faya em grande nos Jogos Africanos

Rosa Napoleão - 02 de Janeiro, 2016

Judoca Antónia de Fátima procura a terceira qualificação para os Jogos Olímpicos

Fotografia: Kindala Manuel

A medalha de Ouro alcançada nos Jogos Africanos de Brazzaville, pela judoca angolana Antónia de Fátima "Faya", marcou o ponto mais alto da modalidade, na presente época desportiva. A atleta que lidera o ranking africano, na categoria de -70 kg, derrotou na final, disputada em Talangarai, a tunisina Houda Milled, por ippon.

A referência nacional, que não disputou as preliminares por ser cabeça de série na condição de segunda melhor atleta no Ranking Africano, na altura tinha eliminado nos quartos -de -final a camaronesa Sophina Arrey e nas meias - finais a tunisina Yene Bocessa.

O judo nacional conseguiu um sétimo lugar, com a judoca Faia, no Campeonato Mundial decorrido no Rio de Janeiro. Faia chegou aos quartos de final, derrubou a espanhola Maria Bernabeu por ippon. O feito, alcançado pela primeira vez, engrandeceu o país e a modalidade em si.

Com o desempenho neste mundial, a judoca nacional, entrou na 24ª posição do ranking mundial. Antónia de Fátima, procura a terceira qualificação para os Jogos Olímpicos, depois de ter estado em 2004 em Atenas e 2012 em Londres. Nas provas de qualificação Faia conquistou igualmente a medalha de Ouro no Torneio World Cup, em Paris. No Grand Prix da Mongólia a judoca voltou a medalhar com bronze, ao superiorizar-se diante da chinesa Chen Fei, que a derrubou  num tempo de  três minutos e sete segundos.

Outro atleta angolano que elevou o seu nível no ranking, foi a judoca angolano Nair Garcia (-50kg) que subiu 14 lugares na classificação, saltou da 24ª para a décima posição, face igualmente à conquista da medalha de bronze nos Jogos Africanos.

A nível interno, verificou-se no judo alguma evolução ao nível das competições programadas para a época, onde se destacam as realizações dos campeonatos provinciais, os torneios inter-provinciais, assim como os nacionais de cadetes, esperança, juvenis, juniores e seniores