Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federação angolana paga quotas aos organismos internacionais

Simao Kibondo - Luxor - 14 de Fevereiro, 2017

Nova presidente de direcção da FACI Cremilde Rangel chefiou a delegação

Fotografia: AFP

O egípcio Waghi Azzam constante de uma lista “unica”, foi eleito para mais um mandato, no domingo dia 12.02 na Assembleia Geral Ordinaria da Confederação Africana de Ciclismo(CAC) que decorreu no Hotel “Stegenberger Nile Palace”  da cidade litoral de Luxor  (Egipto),  que  contou com a participação de quase todos os países da organização, agora com cinquenta (50) representantes, entre os quais Angola que esteve presente com três delegados.

Waghi Azzam foi  o único candidato, depois de na “boca da urna”, a Comissão Eleitoral  anunciar a desistência do candidato Rachid, que foi  indicado para concorrer com o presidente cessante,  para o mandato do ciclo olímpico 2017-2021.

A nova presidente de direcção da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), Cremilde das Chagas Rangel, chefiou a delegação da qual fizeram parte, o vice - presidente Gilchrist Adolfo, eleito como um dos nove (9) delegados com direito a voto, em todos os Congressos da União Internacional Ciclista (UCI) e secretário-geral da Federação Angolana de Ciclismo(FACI), João Francisco, que  também participou   no curso de comissários nacionais de elite, de 07 a 10 do corrente.

Para o novo comite director da CAC foram igualmente eleitos para novos cargos que passam a ocupar: o Queniano Julius Njuguna Mwangi(vice- presidente), o Ivoriense Yao Allah-Kouane(secretário-geral), o moçambicano, Danilo Correia (tesoureiro) e os vogais, William Newman (África do Sul), Aimable Bayiungana (Rwanda) e Abdelkhaldoun (Marroco).

O conclave aprovou o Relatório e Contas do mandato cessante ( 2013-2017) e as propostas de criação do “Clube dos Campeões Africanos”, “Campeonato CAC Grande Fundo ” no ambito do projecto “Ciclismo para todos”, “Campeonato Africano de Clubes de Ciclismo”, e outras que vão ser recebidas das outras Federações, e ou  Comissões de trabalho.

BRIAN COOKSON
PRESTIGIOU O ACTO


Estiveram a acompanhar os  trabalhos da Assembleia Ordinaria da CAC de 2017, em Luxor, alguns  responsáveis importantes do orgão reitor do ciclismo mundial (UCI), como, o presidente da UCI, Brian Cookson e o vice-presidente da UCI, David Lappartient (presidente da Conferaderação, que dada a sua relevância, acabaram por ser as individualidades que prestigiaram o evento.

Os membros das várias comissões de trabalho da UCI, nomedamente, Tom Van Damm( Chefe do Departamento do  Ciclismo Federado de Estrada), Mohamed Belmani ( Saude e ciclico paralimpico), Emin Muftuoglu ( Chefe do Departamento do Ciclismo federado de Bicicletas de Montantas),James Car (Chefe das relacões com as Federações Nacionais, Frederic Magnet ( Director das competições mundiais de Ciclismo), Jean- Pierre Van Zyl (Supervisor tecnico e um dos responsaveis do Centro Mundial de alto Rendimento baseado na África do Sul), também marcaram presenca.

GANHOS
Nova presidente da FACI
reconhecida no órgão


A apresentação da  nova presidente de direcção da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), Cremilde das Chagas Rangel nesta “ montra” do ciclismo continental, particularmente na CAC, e a eleição do vice-presidente, Gilchrist Adolfo, como um dos nove delegados da Confederação Africana de Ciclismo, com direito a voto em todos os Congressos da União Internacional Ciclista (UCI), acabaram por ser os principais ganhos do país na Assembleia-Geral Ordinária do orgão da modalidade no Continente africano.

Cremilde Rangel, na qualidade da principal responsável do orgão reitor do ciclismo angolano, aproveitou a oportunidade para regularizar a situação da FACI ( pagamento da quotização), diante dos organismos internacionais reitores da modalidade, no caso de África, na CAC , e na União Internacional Ciclista Internacional(UCI), entre outros contactos no seio de representantes de todas as federações presentes.

Importante recordar que  o êxito alcançado pela missão angolana, presença de Angola neste forum, teve no presidente da Federação Moçambicana de Ciclismo, Danilo Correia, actual tesoureiro da CAC, um importante parceiro nos lopbyes criados.

PROVA AFRICANA
ARRANCOU DOMINGO


Os Campeonatos Africanos de Ciclismo de Pista e de Estrada, de 2017, com a presença dos representantes da maior parte dos países filiados na Confederação Africana, mas que Angola não  participa , iniciaram no domingo  dia 12.02, e terminam no domingo dia 19.09 nesta mesma cidade de Luxor.

A decisão de não participar nos Campeonatos Africanos de Ciclismo de Estrada deste ano, foi tomada numa das primeiras reuniões de direcção do novo elenco da FACI, não obstante a selecção de júnior arrebatar  a medalha de bronze, nos Campeonatos Africanos de 2016 disputados em Casablanca e Benslimane (Reino de Marrocos), achou inoportuno que os nossos melhores ciclistas depois do estágio efectuado no Centro de Rendimento da África do Sul , entre Outubro e Novembro de 2016, entraram praticamente em "defeso".

O facto dos principais centros de desenvolvimento da modalidade no país, nomeadamente, Benguela e Luanda,  iniciar  as competições de abertura da época 2017/2018,  apenas em meados de Janeiro, também pesou sobremaneira na decisão da não participação de Angola nos Campeonatos Africanos, onde a estratégia da FACI para competições passa por ocupar os lugares cimeiros, a corroborar com orientações baixadas pelo Ministério da Juventude e Desportos às Direcções das Federações Nacionais eleitas recentemente, para o Ciclo Olímpico 2017-2020.
Simao Kibondo - Luxor