Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao apoia as associaes

11 de Abril, 2013

Presidente da Federao Pedro Godinho

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente de direcção da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, visitou, na terça-feira, Associação Provincial de Luanda (APAL).

A visita de Pedro Godinho enquadra-se nas acções constantes do seu programa de acção para o mandato corrente. O presidente da FAAND esteve já no Kwanza-Sul, Benguela, Huíla, Huambo e Bié.

“Estamos a visitar as associações para nos inteirarmos do seu funcionamento e levar a ajuda monetária que prometemos e que está inserida no nosso programa de acção”, disse Pedro Godinho.

“Na terça-feira, trabalhámos em Luanda e fomos informados que a Associação se debate com muitos adiamentos de jogos por falta de recintos. Recebemos também a preocupação relativa à arbitragem, onde se regista muito absentismo”, acrescentou.

A respeito das ajudas, o presidente da FAAND referiu que as duas maiores associações do país, Benguela e Luanda, receberam 500 mil kwanzas cada e as demais 150 mil, como ajuda da federação em comparticipação nos patrocínios que esta tem conseguido.

António Custódio, presidente da APAL, disse que a visita foi frutífera, na medida em que equacionaram junto dos responsáveis federativos a questão da reactivação dos núcleos da modalidade.

“Pedimos ajuda à federação para a reactivação dos núcleos, já que temos tido dificuldades de vária ordem para os reactivar. Noutro seguimento, manifestámos a nossa disponibilidade para acolher os próximos campeonatos nacionais de seniores e a questão dos árbitros que são insuficientes”, disse.

Pedro Godinho disse à nossa reportagem que a FAAND vai promover, nos próximos dias, em Luanda, um curso para árbitros, no quadro do programa de formação que a tem desenvolvido noutras províncias.

“Os cursos para árbitros noutras províncias decorrem em simultâneo com o curso de nível I para treinadores, mas vamos atacar primeiro a arbitragem, dada a necessidade urgente que Luanda tem. Precisamos de fazer refrescamento, estágios de ascensão de categoria, pelo facto de alguns árbitros em Luanda estarem também com idade avançada”, disse.