Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federação aposta no Rio'2016

10 de Dezembro, 2014

Atiradores nacionais vão competir no campeonato africano de Pretória para chegar ao Rio de Janeiro

Fotografia: AFP

Selecção Nacional vai participar no Campeonato Africano de Tiro aos pratos, em Pretória, África do Sul, com o objectivo de alcançar o passe de acesso aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. As palavras são do vice-presidente da Federação Angolana de Tiro, Ricardo Lopes.

O responsável federativo sustentou a crença de qualificação aos Jogos Olímpicos de acordo com os resultados obtidos pelos atiradores nacionais no Campeonato de Fosso Olímpico de 2014, competição A do calendário da Federação Angolana. A última prova, o Torneio Chico Carmo, que decorreu no último domingo no Regimento de Defesa Anti-Área, no Cantinton em Luanda, justificam a ambição da instituição.

Ricardo Lopes também detém uma das melhores médias de precisão sobre o alvo em movimento, sublinhou os bons indicadores deixados pela Selecção Nacional no torneio zonal VI de apuramento ao “Africano”, disputado na África do Sul, em que o combinado nacional arrebatou as medalhas de prata e de ouro.

O responsável federativo defende a calendarização de um programa de trabalho rigoroso para que os integrantes da Selecção Nacional atinjam as melhores médias na maior competição continental. Ricardo Lopes defende que o tempo disponível antes da competição africana “é suficiente para se chegar à excelência”. Porém, avançou que “vai ser necessário  quem de direito disponibilizar os recursos necessários para o efeito”.

Ricardo Lopes afirmou que os atiradores do norte do continente africano gozam de algumas vantagens por estarem inseridos no programa com maior número de torneios. Essas participações dão alguma superioridade na precisão de disparos. Contudo, o actual quadro pode ser invertido com a redução das taxas alfandegárias cobradas pelo material desportivo no país.

A existência de maior número de fossos no país é outro elemento favorável a uma auspiciosa presença de Angola no Campeonato Africano das Nações, segundo Ricardo Lopes. A manutenção desses empreendimentos deve constar das prioridades no âmbito da preparação dos atiradores. Ricardo Lopes defende que cada atleta deve fazer a sua preparação preliminar na respectiva região de residência.

“A modalidade teve uma das épocas mais profícuos dos últimos cinco anos. A regularidade do campeonato nacional de Fosso Olímpico e a excelente prestação no torneio de apuramento contribuíram para o sucesso. Uma vez apurados para a maior prova do continente, temos a responsabilidade de fazer uma preparação que nos permita obter o apuramento aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro”, disse Ricardo Lopes.

FOSSO OLÍMPICO
Paulo Silva é bi-campeão nacional


 O atirador do 1º de Agosto, Paulo Silva, foi o mais produtivo da época'2014, ao revalidar o título do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, após o Torneio Chico Carmo, que se realizou no último domingo, no Campo de Tiro do Regimento de Defesa Anti-Aérea. Apesar de estar ausente da última competição, Paulo Silva foi o mais regular na tabela de classificação. O bi-campeão nacional liderou o campeonato com zero ponto, seguido de Ricardo Lopes, com 30 pontos. Nas posições imediatas ficaram Emerson Gomes, com 33, Jorge Perestelo (42), Albano Freitas (62) e Paulo Alves (66).

O troféu de Torneio Chico Carmo ficou com Emerson Gomes, que totalizou 102, seguido de Paulo Guga (Clube de Tiro e Pesca do Lubango), 108; Ricardo Lopes, 105; Albano Freitas (Clube de Tiro Caça do Lubango), 104; Ruca Mendonça (Interclube), 104, e Francisco Gastão, 103.
O vice-presidente da Federação Angolana de Tiro para a área técnica, Ricardo Lopes, considerou a época “muito regular”.

Todas as jornadas foram realizadas nas datas previstas. A província de Benguela voltou a acolher uma prova, depois de ficar de fora no ano passado.
“Todos os indícios apontam para melhorias significativas. Os resultados obtidos dentro e fora do país permitem-nos projectar com confiança a próxima época desportiva”, disse.
HELDER JEREMIAS