Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao de Voleibol aposta na formao

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 02 de Setembro, 2013

Agentes desportivos recebem formao em voleibol em todas as provncias do pas no mbito do programa de revitalizao que culmina dentro de trs anos

Fotografia: Jornal dos Desportos

A formação dos treinadores, dirigentes e árbitros é uma das principais apostas para este ano do elenco da Federação Angolana de Voleibol, liderada por Valentim Domingos. O dirigente desportivo, que falava há dias, no Lubango, no âmbito da realização da quarta etapa do circuito nacional de voleibol de praia, apontou como prioridade a potenciação do pessoal para lançar no futuro duplas com níveis aceitáveis em circuitos continentais, mundiais ou Jogos Olímpicos.“Para este ano, agendámos mais a formação, sobretudo, a capacitação dos treinadores, dirigentes e árbitros. Para nós, a formação do homem é a grande prioridade”, disse.

Valentim Domingos assegura que pretendem dirigir o voleibol de uma forma “mais pedagógica, com sentido harmonioso e tentar alcançar patamares elevados” no final do mandato. Os resultados dos investimentos na formação, defende, vão aparecer em consequência desse processo. Portanto, os resultados desportivos ou participações nas provas internacionais não constituem prioridades. A Federação vai continuar a potenciar os conhecimentos dos agentes desportivos para que o país não volte a passar por constrangimentos de ordem técnica, mormente, a falta de recursos humanos de qualidade, quer no sector de dirigismo, professores de Educação Física e treinadores.

A construção de parques desportivos em todo o espaço nacional aliviou a pressão que se vivia no voleibol. Agora, o incentivo e a massificação da modalidade passam por recursos humanos com boa qualidade. Os professores de Educação Física são chamados a responsabilizar-se pelo sucesso do voleibol no país. “Se não houver professores, os alunos hão-de existir sempre. Logo, não há quem os dirija. Então, fica um pouco difícil. Para a Federação, a presença das associações nas províncias requer clubes ou núcleos. A não ser assim, apostamos e continuaremos a reafirmar que vamos estar de mãos dadas com o desporto escolar”, salientou.Os apoios da Federação consubstanciam-se na formação dos professores, distribuição de material e equipamento desportivo e dinamização do voleibol nos locais de aplicação do projecto.

PROMESSA
Voleibol chega a todo o país


A extensão do voleibol nas 18 províncias do país constitui o maior desafio a que se propôs o presidente da Federação Angolana da modalidade, Valentim Domingos. Para a concretização do desejo, o dirigente desportivo promete trabalhar com mais abnegação e liderança.“Estamos a caminhar bem e creio que até meados do próximo ano teremos o voleibol em todo o país”, prometeu.Valentim Domingos reafirma que a sua equipa trabalha arduamente para a extensão do voleibol em todo o território nacional e as esperanças apontam para o “sucesso do programa” em curso. Em algumas províncias já existem núcleos e a Federação compromete-se a capacitar as pessoas que vão dirigir as crianças, potenciá-las com material desportivo e efectuar acompanhamentos.

A título de exemplo, a Federação realizou recentemente a formação de treinadores que contou com o prelector da Federação Internacional, o árbitro português Rui Carvalho. Uma dezena de participantes em representação das províncias do Kwanza-Sul, Bié, Namibe e Luanda estão munidos de conhecimentos modernos. No final do curso, cada um dos treinadores recebeu kits de materiais para leccionar sem embaraço.

A presença de algumas empresas patrocinadoras está a facilitar o desenvolvimento do voleibol, segundo Valentim Domingos, que vaticina “boas perspectivas”. Luanda é a província com mais empresas interessadas. “Com essas garantias e a sua expansão nas demais províncias, cremos que o voleibol vai renascer”, sustentou. GAUDÊNCIO HAMELAY | NO LUBANGO