Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao emite licenas para pilotos

Hlder Jeremias - 07 de Fevereiro, 2015

Federao emite licenas para pilotos

Fotografia: Paulo Mulaza

De acordo com o regulamento estão habilitados todos os pilotos nacionais catalogados no órgão reitor, com idade superior a 18 anos, com comprovativo de exames médicos, além de confirmação sobre as habilidades psico-motoras para o manuseio eficaz de artefactos motorizados.

Os cidadãos estrangeiros provenientes de países representados na Federação Internacional de Automobilismo e Federação Internacional de Motociclismo podem também obter as respectivas licenças, desde que apresentem uma autorização emitida pela instituição reitora do desporto nos países de origem.

O regulamento impede a participação nas provas nacionais de cidadãos nacionais e estrangeiros com licenças emitidas noutros países, razão pela qual os pilotos que já competem em provas no estrangeiro também devem regularizar a sua situação junto da Federação Angolana dos Desportos Motorizados.

Depois de terminar o prazo de validade da primeira licença emitida pela FADM, os pilotos estrangeiros podem  renovar as licenças nos seus países. Em caso de solicitação de licenças por parte de pilotos menores de idade, estas devem ser passadas em nome dos seus progenitores até que completem a maioridade.

Na ausência de uma unidades hospitalar especializada para efectuar as análises clínicas e exames médicos, os pilotos devem  procurar os serviços médicos disponíveis no país, com destaque para o Centro de Medicina Desportiva, localizado no complexo da Cidadela Desportiva.

“Os nacionais de países representados na FIA e FIM, em conformidade com os artigos 47º e 110 do Código Desportivo Internacional, mediante prévia autorização escrita da autoridade desportiva nacional de tutela do adversário podem requerem as licenças, ao passo que aqueles cujos países não estão filiados nas duas instituições reitoras do automobilismo e motociclismo ao nível internacional também podem fazer desde que cumpram com o preceituado nos regulamentos”, lê-se no comunicado da FADM.