Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao inspecciona condies na Regio Sul

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 21 de Junho, 2015

Carlos Luis oucupa uma das vice-presidncias da comfederao

Fotografia: Domingos Cadncia

A Federação Angolana de Boxe (FABOX) cumpre, desde ontem,  uma digressão pela Região Sul do país com a finalidade de radiografar o estado actual da modalidade naquela parcela do território nacional.

 “Venho de uma digressão por orientação da direcção da FABOX e estamos a fazer um levantamento geral do estado actual da nossa modalidade a nível da região sul. Trabalhei já no Namibe e agora estamos no Lubango para falarmos com os agentes da modalidade, os praticantes, ex- praticantes e associação provincial para me darem uma radiografia do estado actual do boxe”, esclareceu Alberto Ngongo, membro da Federação Angolana de Boxe.

Destacou que a responsabilidade acrescida da vice-presidência que Angola ocupa na Confederação Africana de Boxe, exige da federação algumas tarefas de reorganização interna da modalidade no sentido de que quando for competir em eventos internacionais, venha a ser mais forte em termos de selecções nacionais.

Alberto Ngongo afirmou que tendo em conta as peripécias financeiras que o país passa agora, o órgão reitor da modalidade no país, está a desenhar a organização de torneios inter-provinciais, e municipais para dar maior competitividade e rodagem aos atletas para se futuras selecções mais fortes e bem representativas a nível das 18 províncias.

Alberto Ngongo enalteceu o trabalho que esta sendo desenvolvido na província de Cabinda em termos do desenvolvimento do boxe. Reconheceu que a associação de Cabinda é a única que neste momento tranquiliza ainda a federação.

Alberto Ngongo informou que a nível da província de Cabinda há um trabalho bastante bom, pois naquela região mas a norte do país, realiza-se torneios municipais, campeonatos provinciais onde a federação apoia apenas com a premiação.

De acordo com Alberto Ngongo, o órgão reitor da modalidade no país que esse exemplo de Cabinda seja engendrado a nível de todas as províncias.
Alberto Ngongo  avançou que na Huíla encontrou algumas informações bastante boas porque já se desperta interesse da classe empresarial e governo em apoiar a realizações de competições internas. “E isto é bom para nós. E a nível do governo também existe interesse”, aclarou.

Alberto Ngongo exemplificou que por parte das administrações municípios de Quilengues e Caluquembe há interesses em apoiarem a realização de torneios inter provinciais e nacionais para enaltecer as datas festivas destas municipalidades.

“E nós, federação, viemos aqui para dar o nosso parecer positivo à associação de Boxe da Huíla para continuar com essas conversações com as administrações de Quilengues e Caluquembe para nos próximos dias realizarmos já este torneio que para a federação séria muito bom trazermos aqui equipas como do Interclube, Golf II, Misto de Cabinda, Eléctro do Lobito, Namíbe, Huambo e Lubango todos virem competir”, frisou.

Alberto Ngongo asseverou que o objectivo da realização destas competições em diversos pontos do país, consiste em dar maior competitividade aos pugilistas angolanos. Avançou que outros torneios podem ser realizados muito antes da realização do Campeonato Africano que se avizinha em Marrocos.

Alberto Ngongo concluiu  que no âmbito da reorganização interna que se pretende, a federação inteirou-se já das dificuldades das províncias do Huambo, Namíbe, Huíla e “depois vamos andar por outras restantes províncias porque Cabinda é a única associação que neste momento nos tranquiliza ainda”.