Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao Internacional promete travar adulterao

21 de Março, 2013

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) promete reservar aos atletas que competem com idades adulteradas, os populares “gatos”, o mesmo tratamento dispensado aos competidores que usam substâncias irregulares para melhorar a performance.

“Esse é um problema que afecta todos os desportos com competições por idade e a IAAF o trata com extrema seriedade. As declarações do presidente Lamine Diack estão bem documentadas e ele deixou muito claro que a entidade lida com esse problema com a mesma seriedade do doping”, diz nota do Departamento de Comunicação da IAAF.

A entidade lembrou que o exame de idade óssea, já usado pela FIFA para tentar determinar a idade real dos jogadores, é questionável. Assim, a IAAF mantém o controlo através da documentação e exige de todos os atletas um passaporte válido para participar nas suas competições.

“Na grande maioria das vezes, a informação procede. Quando há qualquer irregularidade, os casos são investigados ao detalhe através da Confederação Nacional do atleta. Em alguns deles, a IAAF também já conduziu a sua própria investigação por meio das autoridades dos territórios em questão”, diz a nota.

Os “gatos” não são exclusividade do continente africano, mas alguns factores fazem com que sejam mais frequentes. A distância das localidades dos órgãos de registo, nas nações em que eles existem, os custos envolvidos em obter um documento e a simples falta de costume são as principais causas do surgimento de “gatos”.


Usain Bolt
corre no Brasil


O jamaicano Usain Bolt desembarca no Rio de Janeiro, Brasil, no final do mês, para disputar evento mano a mano em pista de 150m instalada na praia de Copacabana. Amante do futebol, o bicampeão olímpico nos 100m, 200m e na estafeta 4x100m espera calor semelhante ao da claque brasileira nas bancadas montadas no cartão postal carioca.

“Estou muito animado por correr no Brasil pela primeira vez. A prova vai ser especial, já que vai ser na mundialmente famosa praia de Copacabana. Vai ser divertido. Conheço a claque brasileira apenas pela sua paixão pelo futebol. Espero que eles criem uma atmosfera semelhante no mano a mano. A energia do público sempre nos ajuda a correr mais rápido”, diz o jamaicano.

Dois dos adversários de Usain Bolt, que compete no mano a mano do dia 31, vão ser o norte-americano Wallace Spearmon, vice-campeão olímpico na estafeta 4x100m de Londres 2012, e o equatoriano Alex Quiñones, finalista olímpico.

O terceiro a desafiar a supremacia do jamaicano, detentor do recorde mundial dos 150m com o tempo de 14s35, vai ser um brasileiro definido nas qualificativas no dia anterior.

Além disso, a competição vai ter também desafio feminino. O campeão paralímpico Alan Fonteles enfrenta o norte-americano Jerome Singleton, substituto do sul-africano Oscar Pistorius.