Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federação preconiza maior trabalho

Helder Jeremias - 24 de Dezembro, 2016

nova direcção da Federação Angolana de Tiro

Fotografia: Jornal dos Desportos

Liderados pelo presidente de direcção, Afonso Francisco "Hanga", os efectivos novos corpos sociais prometeram empenho e sagacidade no desempenho das suas funções para que a modalidade das espingardas, num futuro próximo, possa fazer parte do núcleo de actividades desportivas de maior realce  no que tange a representação do país na arena internacional. Reconduzido para o cadeirão mais alto do órgão reitor da modalidades das espingardas, Afonso Francisco "Hanga" conta com personalidades dotadas de grandes conhecimentos técnicos e administrativos para implementar o seu ambicioso programa de alavancar o palmares dos atiradores nacionais, depois do seu primeiro mandato ter sido marcado pela regularidade de provas do Campeonato nacional de Fosso olímpico, não obstante as dificuldades inerentes a conjuntura económica.

A existência de novos campos de tiro com padrão internacional em Luanda, Huila e Benguela representam um indicador plausível sobre as potencialidades que Angola ostenta para que os atiradores residentes na zona centro e sul possam aprimorar de forma afincada os níveis técnicos, condição essencial para que o Nacional de fosso olímpico se torne cada vez mais equilibrado.

No sentido de se inteirar sobre as grande preocupações e programas particulares dos clubes, os membros da direcção têm em agenda a deslocação as distintas províncias em que a prática do tiro é uma realidade, num périplo que deverá acontecer a partir da primeira quinzena do mês de Janeiro, ao longo do qual deverão ser realizados encontros de auscultação. Francisco Afonso "Hanga" conta com o auxílio do experiente dirigente Humberto Jorge Andrade, personalidade que volta a fazer parte da direcção depois de ter desempenhado a função de secretário geral no consulado de Higino Carneiro e do seu sucessor, Melo Xavier, ao passo que Adelino Chaves, secretário-geral no mandato passado, assume o cargo de vice presidente da actual direcção.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Humberto Andrade exteriorizou o seu agrado por voltar a fazer parte do quadro orgânico da instituição reitora da modalidade e prometeu dar o melhor de si para que a classe possa ultrapassar os desafios que condicionam a concretização das metas de curto e médio prazos.

"Estamos todos imbuídos no desejo de tornar o país numa das princiipais referências do tiro ao nível do continente, daí que cada um de nós deve emprestar o seu saber quer ao nível das competições quer ao nível do dirigismo desportivo. Desta forma, estamos prontos para esta empreitada", garantiu Humberto Jorge.