Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao promete apoio s Associaes

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 31 de Março, 2013

Presidente da federao foi Hula agradecer aos clubes pelo apoio nas eleies

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, anunciou no Lubango que a partir da próxima semana, todas as associações provinciais da modalidade vão passar a beneficiar de um apoio financeiro para as despesas de funcionamento. Pedro Godinho, que esteve no Lubango na quinta-feira passada, manteve um encontro com os dirigentes dos clubes huilanos com o objectivo de agradecer o apoio e suporte que essas agremiações deram ao seu projecto durante o período eleitoral. Reafirmou que as promessas feitas ao longo da campanha eleitoral já estão em execução, inclusive com um cronograma de acções claramente delineados.

Afirmou que a federação vai levar a cabo durante este ano um conjunto de acções formativas em todo o país para treinadores de nível I e árbitros de categoria provincial. Para dar início a este ambicioso projecto foi agendado para a segunda quinzena do mês de Abril a realização da primeira acção de formação na província da Huíla. “Os clubes que movimentam o andebol na Huíla foram também informados e está prometido no nosso programa de campanha que ao longo de 2013 queremos dar formação em todo o país para treinadores de nível I e árbitros de categoria provincial. Neste momento a responsabilidade está do lado da associação da Huíla, que vai preparar as condições, pois na segunda quinzena de Abril vamos promover essa acção de formação no Lubango”, disse.

De acordo com Pedro Godinho, a federação tem a responsabilidade de contratar os formadores, fornecer toda a logística para a formação e material didáctico. O presidente da federação avançou que à província caberá a comparticipação, por via do governo provincial, no alojamento e alimentação dos dois formadores durante um período de oito a dez dias. “Estamos a agendar para a segunda quinzena do mês de Abril essa formação na Huíla. Se qualquer coisa não correr bem, na pior das hipóteses no início do mês de Maio”, referiu. Pedro Godinho sublinhou que a intenção da federação com a realização do curso de treinadores de nível I visa impedir que qualquer equipa da província seja autorizada a inscrever treinadores que não tenham no mínimo essa certificação.

“Esse nível I é um curso que pode parecer generalista, mas vai-se ali buscar conhecimentos que permitem no mínimo não ensinar mal às crianças. Já há alguns conceitos de psicologia e de prevenção de lesões. O sistema de competição que a federação pretende adoptar já é dado neste curso”, revelou. Adiantou que em paralelo vai ser feito um curso de árbitros para a categoria provincial e que a simbiose do curso de formação de árbitros e de treinadores, na visão da federação, é o garante para se ter quadros na província capazes de ensinar com qualidade e dentro de um padrão aceitável o ABC do andebol.

Acrescentou que outro grande suporte, que ficou prometido aquando da campanha eleitoral, previa levar um treinador da Huíla a estagiar num clube de referência da Europa, no âmbito da melhoria do conhecimento técnico dos treinadores da província. Deste modo, a Huíla beneficia já com a ida de um treinador local a Portugal, onde efectua um estágio no Futebol Clube do Porto nos próximos dias. “Vamos mandar um treinador da Huíla a um estágio de aperfeiçoamento no Futebol Clube do Porto, para que ele possa depois vir dividir essa sua experiência com os outros treinadores da província”, garantiu Pedro Godinho.


Programa
Competições regionais
entre as privilegiadas


A Federação Angolana de Andebol (FAAND) pretende privilegiar doravante as competições regionais de forma a evitar muitos gastos às províncias que acolhem os nacionais. Pedro Godinho, que manifestou a intenção no Lubango, referiu que para a concretização do projecto se aguarda pela realização do encontro nacional, aprazado para o mês de Maio, no qual vai ser definido uma estratégia diferente. “O encontro nacional vai definir uma estratégia eventualmente diferente, porque acaba por ser muito oneroso para as províncias que organizam eventos nacionais e concentram 37 equipas em simultâneo em duas semanas. Portanto, do ponto de vista logístico, segurança e organização é sempre difícil para quem organiza. E a própria Huíla viveu essa experiência”, disse.

Esclareceu que no encontro nacional, por altura das celebrações do Dia Nacional do Andebol, os associados vão debruçar-se sobre um eventual sistema de competição diferente. “Queremos privilegiar a competição regional. Vejam bem a posição geográfica da província da Huíla, com o Cunene à esquerda e o Namibe à direita, ou vice-versa. Estamos a estruturar de forma que neste encontro nacional se determine qual província compete com qual. Fazer a competição regional para eventualmente as fases finais das competições serem um pouco menos onerosas para quem organiza”, pontualizou.

Pedro Godinho contou que se partirmos para as competições regionais, a Huíla está em primeiro plano para acolher eventos, por causa das infra-estruturas que possui, que vão desde os três pavilhões localizados no Complexo turístico da Nª Sr.ª do Monte e os do Benfica do Lubango e Sporting local. Lembrou que a Huíla tem o privilégio de ter tido o recorde de participações num campeonato nacional. Por outro lado, justificou que o recorde registado pela federação até aos dias de hoje é de 37 equipas provenientes de 12 provinciais que disputaram o nacional em ambos sexos no Lubango.

“Por isso acredito que em termos de organização de competições a Huíla está sempre numa situação de privilégio devido às infra-estruturas existentes. Sempre que o governo da província e a associação provincial entenderem que querem co-organizar provas de âmbito nacional, a federação terá essa pré-disposição de trazer para a Huíla o maior número possível de competições”, garantiu.   


Federação francesa
anula várias sanções

A Federação Francesa de Andebol (FFHB) anunciou sexta-feira a anulação dos seis jogos de suspensão a Nicolas Karabatic, Dragan Gajic e Issam Tej, mantendo as penas aplicadas aos outros quatro implicados num caso de viciação de resultados e apostas ilegais. A FFHB disse em comunicado que na análise do recurso, o júri expressou dúvidas sobre eventuais apostas feitas por Karabatic - considerado o melhor jogador do Mundo - Gajic e Tej no jogo entre a sua equipa, o Montpellier, e o Cesson Sevigné, em 12 de Maio de 2012 e em torno do qual se desenvolve uma investigação judicial.

Ao contrário, o painel da federação manteve os seis jogos de castigo aplicados em Fevereiro pela Comissão Disciplinar da Liga francesa de andebol a Luka Karabatic - irmão de Nicolas - Mladen Bojinovic, Samuel Honrubia e Primoz Prost, embora tenha aligeirado a sanção, ao decretar pena suspensa em dois dos encontros. A polícia suspeitava que pelo menos oito jogadores, além das mulheres e noivas e membros da equipa técnica, apostaram cerca de 70 mil euros num encontro da final da passada época, que resultou num lucro de 200 mil euros.

O grosso das apostas ditava a desvantagem do Montpellier ao intervalo do encontro, quando já tinha garantido o título. O organismo público de apostas francês detectou uma quantia anormal de apostas nesse encontro e alertou as autoridades, cuja investigação permitiu determinar que a maioria dos apostadores era constituída por jogadores do Montpellier ou pessoas ligadas ao clube. O regulamento francês impede os jogadores de apostar, directa ou indirectamente, numa competição em que estão implicados.