Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao sob presso da FIRS

25 de Setembro, 2014

Federao sob presso da FIRS

Fotografia: Jornal dos Desportos

O facto foi dado a conhecer pelo vice-presidente da FAP, Pedro Azevedo “Chipita” quando abordava a massificação da modalidade.

Pedro Azevedo assegurou que depois da realização com êxito do 41º Campeonato do Mundo nas cidades de Luanda e do Namibe, a Federação Internacional de Roller Skate tem vindo a questionar constantemente o surgimento de outras modalidades relacionadas.
 
“Estamos a trabalhar com duas empresas, para que no mês de Outubro se realize uma prova internacional que vai envolver muitos patinadores de Luanda e do Namibe, do qual vamos seleccionar aqueles que pretendem ser patinadores ou hoquistas profissionais” frisou.

Chipita disse que vão cadastrar todos aqueles que podem participar na competição, no sentido de os encaminhar para os clubes tradicionais ou mesmo trabalharem com a área técnica da Federação, no sentido de fazerem parte das acções futuras em que Angola  vai estar presente. O país recebe muitos convites do exterior.

“Podemos fazer que outras modalidades relacionadas com a patinagem, como o “free style”, as corridas de patins e o “skate board”, porque temos alguns praticantes já identificados na capital.


 FEMININOs
FAP aberta a iniciativas

O vice-presidente da Federação Angolana de Patinagem (FAP), Pedro Azevedo “Chipita” disse que a instituição está aberta a iniciativas que visam o relançamento do hóquei feminino, depois de mais de uma década de ausência.

Pedro Azevedo abordava sobre a massificação e o ressurgimento do hóquei feminino, afirmou que clubes como o Petro de Luanda, 1º de Agosto, Hóquei 2000 e Associação do Namibe estão apostados em dar um rumo ao sector feminino.

O responsável federativo asseverou que a intenção dos quatro clubes acima referenciados deve ser seguida por outras agremiações. A FAP vai dar todo o apoio técnico e institucional e provavelmente criar uma competição virada apenas para o feminino.
“Podemos fornecer material desportivo como até agora, porque também temos interesse que as meninas façam parte da família do hóquei em patins como foi no passado”, disse.

Pedro Azevedo realçou que para atingir o desiderato “é preciso que todos apoiem nos mais variados sentidos”.
O dirigente federativo disse ser possível o ressurgimento, porque em tempos mais difíceis a modalidade conseguiu estar presente em dois Campeonatos do Mundo.

Pedro Azevedo garantiu que a sua instituição tem uma boa colaboração das antigas praticantes como Maria José, Patrícia Costa e Edna Martins, que têm dado ideias muito úteis para o relançamento do hóquei feminino, apesar de  ligadas à arbitragem e ao dirigismo desportivo. Depois de duas presenças em Campeonatos do Mundo (1994 no Algarve e 1998 em Buenos Aires), onde tiveram uma prestação aceitável.


EQUIPAS
Namibe passa a ter quatro núcleos até final do ano


A província do Namibe vai ganhar quatro núcleos de hóquei em patins, até final do ano, com vista à massificação, anunciou o presidente da Associação provincial, Zeferino Guito.

Um anos após à realização do Mundial em África, que a província do Namibe albergou uma das séries, o responsável informou que os núcleos vão funcionar nos municípios do Tômbwa, o primeiro a ser beneficiado, Bibala, Camucuio e Virei.

O responsável frisou ainda, desde a realização do mundial, a província tem registado um crescimento de adesão por parte de jovens, visto que os adeptos e amantes acreditam na massificação do hóquei.

Salientou que  com  a presença do pavilhão multiusos do Namibe, com capacidade para  três mil e 72 lugares, dos quais dois mil e 892 nas bancadas e 180 em zonas específicas, dois clubes da localidade, o Benfica e o Sporting introduziram no leque das suas modalidades, o hóquei em patins, nos escalões de iniciados, juvenis e juniores. Os dois clubes juntam-se aos já existentes Atlético e Ferrovia do Namibe.

“O Campeonato do Mundo trouxe várias mudanças na província, quer nos aspectos socio-económicos quer desportivos, assim como a construção do aeroporto, que tem contribuído para a presença de vários turistas, novas estradas e hotéis” disse.

O deputado do MPLA, Carlos da Rocha Cruz destacou os benefícios com a realização do Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, que se consubstanciam em melhoria significativas nas infra-estruturas de impacto social, como o pavilhão, hotéis e avenidas.
“Acreditamos que daqui à mais três anos, com os benefícios que a província acabou de ganhar, vamos organizar campeonatos nacionais e regionais nas modalidades desportivas de sala, como hóquei em patins, basquetebol, futsal, andebol e voleibol. Estamos bem servidos em termos de quadras desportivas”, disse.