Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao e Minjud equacionam situao do Autdromo

Helder Jeremias - 04 de Março, 2019

Temos grandes metas para estes anos

Fotografia: Jornal dos Desportos

A disponibilidade, do Autódromo Permanente de Belas, aos agentes desportivos, pode dar uma dinâmica maior ao processo de desenvolvimento dos desportos motorizados nacionais, segundo pronunciamentos do presidente da Federação Angolana de Desportos Motorizados, Ramiro Barreira.
O dirigente desportivo teceu estas declarações ,durante o Segundo Encontro Nacional dos Desportos Motorizados, que se  realizou, recentemente na capital do país, durante o qual técnicos angolanos e estrangeiros fizeram uma abordagem exaustiva sobre as linhas de força a serem implementadas, para que o País alcance patamares condignos na arena internacional das distintas categorias das modalidades motorizadas.
Ramiro Barreira sustenta a sua convicção, de que a importante infra-estrutura vai estar ao serviço do desporto nacional, em função das garantias que a direcção do órgão reitor do automobilismo e motociclismo nacional recebeu da titular da pasta do ministério de tutela, Ana Paula do Sacramento Neto,  segundo as quais as autoridades nacionais vão solucionar o que é visto como um dos principais obstáculos.
"Felizmente, temos uma luz no fundo do túnel, na medida em que recebemos boas perspectivas, da parte da senhora ministra da Juventude e Desportos, quanto à solução da questão do Autódromo de Luanda. É do conhecimento geral, que a sua indisponibilidade está a  causar grandes transtornos. Ainda não podemos falar de datas, estamos certos de que muito em breve devemos ter novidades à esse respeito", augurou Ramiro Barreira.
Para Ramiro Barreira, o país precisa de dois circuitos fechados, um localizado na região Norte e outro na parte Sul, uma vez que a tendência actual é apostar nos circuitos citadinos, para que um maior número de pessoas possa assistir as provas de grande nível, sem fazerem grandes distâncias.
O homem forte dos desportos motorizados, reiterou o forte empenho do seu pelouro, para que o país seja filiado nas organizações reitoras do automobilismo e motociclismo internacionais, (FIA e FIM), um desiderato que a ser concretizados na próxima assembleia,  vai permitir a implementação de outros programas.
"Temos grandes metas para estes anos, que passam pela filiação de Angola junto da Federação Internacional de Automobilismo e a sua filial de Motociclismo, de modo que a criação de condições nos circuitos existentes, devem merecer a nossa atenção especial. Nesta conformidade, devemos ter em atenção os circuitos fechados e citadinos, para que possamos realizar provas com as melhores condições possíveis", disse o responsável.