Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao Federao Angolana precisa de 19,5 milhes de kwanzas

Pedro Futa - 02 de Março, 2019

Faboxe quer dinheiro para investir na formao de atletas

Fotografia: Kindala Manuel | Edies Novembro

A Federação Angolana de Boxe (Faboxe) precisa de 19,5 milhões de kwanzas para dar início à preparação da selecção nacional que vai disputar o Zonal 4, no final de Abril corrente, em Gaberone, Botswana. O cofre da instituição conserva apenas nove milhões de kwanzas.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente de direcção da Faboxe, Carlos Luís, esclareceu os objectivos da selecção nacional.
\"Os nosso objectivo é chegar aos Jogos Olímpicos de Tóquio\'2020 e precisamos desenhar o quadro de potenciais atletas. Temos de obter um bom resultado no Zonal 4, em Gaberone, e para o efeito precisamos de 19,5 milhões de kwanzas para cobrir as despesas de 20 atletas e quatro treinadores durante os 30 dias de preparação\", esclareceu.
O bom resultado de Angola estende-se também no Campeonato Africano a decorrer em Junho na Tunísia, nos Jogos Africanos de Rabat, Marrocos, em Junho, e no Mundial da Rússia em Setembro. Para tantos desafios, \"temos disponível apenas nove milhões de kwanzas\", segundo Carlos Luís.
Adilson Ramiros é a grande aposta e a esperança da Selecção Nacional para os Jogos Olímpicos de Tóquio\'2020. O atleta milita nos campeonatos da Rússia na categoria de 63 quilogramas. Outra aposta é Pedro Gomes, que se encontra em Portugal na categoria de 61 quilogramas.
 O Comité Olímpico Internacional deliberou em Novembro de 2018, em Moscovo, oito categorias das 10 anteriores. Deixaram de existir os pesos de 49 e 60 quilogramas. Angola vai participar nas categorias de 57 e 63 quilogramas, segundo Carlos Luís.
A Faboxe está preocupada com as mudanças mos regulamentos e Carlos Luís prometeu trabalhar para que os atletas angolanos atinjam os novos pesos exigidos no mais curto espaço de tempo.
\"Vamos trabalhar para mudança das categorias leves para os pesados. Isso vai exigir mais trabalho da nossa parte\", disse.
Os atletas trabalham nos clubes e vão ser congregados após a disputa do Campeonato Nacional a decorrer de 21 a 24 de Março na província do Cuanza-Sul.
A Federação Angolana de Boxe vai tomar providências para evitar futuras fugas de atletas para o espaço europeu, revelou Carlos Luís.
\"Vamos acautelar-nos das futuras fugas. Os atletas, que derem motivos de desconfiança, não vão seguir viagem. Vamos procurar melhorar as condições de vida dos fazedores do boxe\", disse.
Pedro Gomes ainda não recebeu os prémios pela conquista da medalha de bronze no último Campeonato Africano. O não pagamento desmotiva os atletas angolanos, segundo Carlos Luís.
O histórico das selecções nacionais registam a fuga de atletas de origem congolesa.

FORMAÇÃO DE ÁRBITROS

A Federação Angolana de Boxe inicia a partir da próxima semana um curso de árbitros e de juízes em Cabinda e Luanda. A formação tem como prelector Reinel Machin Aguero, de nacionalidade cubana. As inscrições dos interessados decorrem nas Associações provinciais de boxe, segundo Carlos Luís.
\"Pedimos a todos os interessados em futuros juízes e árbitros a inscreverem-se nas associações provinciais e na Faboxe\", disse o dirigente.
O projecto de massificação do boxe nas províncias vai arrancar tão logo o Ministério da Juventude e Desportos disponibilize as verbas cabimentadas no Orçamento Geral do Estado, segundo Carlos Luís.