Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federer bate Nadal e conquista Open da Austrália

30 de Janeiro, 2017

O título de ontem também coloca Federer de volta ao top 10 do ténis mundial, enquanto Nadal sobe para o sexto lugar, mesmo com a derrota

O mundo todo acompanhou ontem a final histórica do Open da Austrália, entre Roger Federer e Rafael Nadal. Dois dos maiores nomes da história do ténis, suíço e espanhol fizeram uma final de tirar o fôlego e, reeditando a final de 2009, Federer se impôs em quadra e venceu por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 3/6, 6/1, 3/6 e 6/3.

Uma das maiores rivalidades do ténis voltou a acontecer numa final de Grand Slam após seis anos. A última vez que os dois tenistas se encontraram numa final aconteceu em 2011, quando o Touro Miúra bateu Federer por 3 sets a 2 e conquistou o seu sexto título de Roland Garros.

O resultado deu a Federer o seu quinto título do Open da Austrália (2004, 2006, 2007, 2010 e 2017). Enquanto Nadal continua com uma conquista, em 2009, diante o rival suíço. Agora, Roger Federer soma 18 títulos do Grand Slam na sua carreira, aumentando a vantagem para Rafael Nadal e Pete Sampras, ambos com 14.

O título de ontem também coloca Federer de volta ao top 10 do ténis mundial, enquanto Nadal sobe para o sexto lugar, mesmo com a derrota. Depois de temporada fraca em 2016, os atletas voltaram a decidir uma final de Grand Slam. No último ano, o espanhol ficou cerca de três meses sem entrar nas quadras por causa de uma lesão no pulso, enquanto o suíço passou o segundo semestre inteiro afastado após problemas no joelho.

A final nostálgica, que teve três horas e 40 minutos, começou com Federer melhor. O ex-número 1 da ATP e actual 17º confirmou os seus serviços e, ao quebrar Nadal, caminhou para a vitória e passou a pressionar o espanhol: 6/4.

Este mostrou que estava disposto a deixar tudo em quadra e empatou a decisão. Forte nas devoluções, Nadal chegou a abrir 4-0 quando quebrou o suíço. Apostando no forte braço esquerdo, Federer chegou a equilibrar o duelo, mas viu Nadal sacar bem e, com direito a triplo set-point, fechar em 6/3.

O suíço começou abrindo 40-0 no primeiro game, mas, com erros bobos, viu Nadal encostar e, com muita dificuldade, abriu vantagem no terceiro set. Na sequência, mais calmo, Federer foi bem nos saques – seis aces contra um de Nadal – e venceu por 6 a 1.

O espanhol, ex-número 1 e actual 9º, teve que começar agressivo a quarta parcial para confirmar serviço e largar na frente. Após quebrar Federer no quarto game, apostando nas bolas de fundo de quadra, Nadal abriu 3 a 1. Com triplo set-point, o espanhol de 30 anos manteve o bom aproveitamento nos saques e voltou a empatar a partida em 2 a 2.

Antes do início do set decisivo, Federer pediu um tempo médico de três minutos. Quando a bola amarela voltou a entrar em disputa, Nadal se mostrou muito consistente, salvando as bolas de fundo da quadra. Depois de confirmar os serviços, o espanhol acabou por ser quebrado e viu Roger Federer deixar tudo igual na parcial.