Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federer e Nadal discutem final

02 de Abril, 2017

Rafael Nadal leva vantagem sobre o rival no histórico entre ambos

Fotografia: AFP

O tenista suíço Roger Federer, e o espanhol Rafael Nadal, disputam hoje a final do torneio Masters 1000 de Miami, após o suíço  qualificar-se a para a final, ao assegurar o triunfo sobre o australiano Nick Kyrgios, uma das ‘cabeças de cartaz’ do próximo Estoril Open, em três ‘sets’, pelas parciais de 7-6 (7-9), 6-7 (9-7) e 7-6 (7-5), após uma longa ‘maratona’ de três horas e dez minutos.

No segundo frente a frente entre Federer e Kyrgios, 16.º da hierarquia, o suíço empatou  com o australiano. Depois de conquistar o primeiro Masters 1.000 da temporada, em Indian Wells, Federer apurou-se pela segunda vez consecutiva para a final de um torneio daquela categoria.

Este é o 37.º confronto directo entre os dois antigos líderes do \"ranking\", com as contas a serem claramente favoráveis a Nadal, que ganhou 23 embates ao helvético.

No entanto, Federer venceu os três últimos confrontos, um deles a final do Open da Austrália, primeiro \"Grand Slam\" do ano.

FEDERAÇÃO

A Federação Internacional de Ténis (ITF) anunciou,  que vai reestruturar as camadas mais baixas da modalidade, de modo a diminuir o número de jogadores profissionais.

A análise feita ao longo de três anos, pela ITF ao circuito profissional e de juniores concluiu, que o número de jogadores que conseguem viver do ténis é residual, uma vez que quase metade dos 14.000 tenistas que competem em torneios profissionais não ganham qualquer ‘prize money.

A entidade, que tutela a modalidade, quer reduzir o número de jogadores para 1.500 (750 na vertente masculina e 750 na feminina) com as reformas que já foram aprovadas pela direcção da ITF, a serem introduzidas através de um ‘circuito de transição’ na temporada de 2019.

Segundo o comunicado da federação internacional, os actuais torneios ITF de 15.000 dólares vão deixar de fazer parte do circuito profissional,  passam a integrar um ‘circuito de transição’, distribuem apenas pontos para um ‘ranking’ ITF. Só quem tiver pontos nessa hierarquia vai poder jogar o circuito profissional.

A ITF esclarece ainda, que o ‘Transition Tour’ vai ser realizado num molde de circuitos regionais, com o objectivo de diminuir os custos para tenistas e organizadores.

Para a entidade, esta nova estrutura vai “introduzir um caminho profissional mais claro e eficiente, e garantir que os prémios monetários nos futures sejam mais bem direccionados, para que mais jogadores vivam do ténis profissional”.

A ITF chegou à estas conclusões, após analisar dados de jogadores entre 2001 e 2013 e de realizar entrevistas a mais de 50.000 pessoas do meio, num estudo elaborado durante três anos.


CICLISMO
Britânico morre atingido por carro na Austrália


O ciclista britânico de longa distância, Mike Hall, morreu ao ser atingido por um carro, na corrida Indian Pacific Wheel, que liga as cidades de Perth a Sydney, informaram os responsáveis da prova.

A corrida foi cancelada algumas horas após o incidente, com a polícia a revelar que Mike Hall morreu no local, depois de uma colisão na estrada de Monaro, perto de Williamsdale, quando se dirigia para norte. Hall, de 35 anos, seguia em segundo lugar quando o seu GPS deixou de dar indicações de movimento, às 06h30 locais.

A competição, de 5.500 quilómetros, teve início a 18 de Março em Fremantle, a sul de Perth, e na liderança seguia o belga Kristof Allegaert que devia hoje chegar à meta, junto à Opera de Sydney, onde está prevista uma homenagem a Hall, no domingo. Hoje, a página ‘CyclingTips’ salientou que Mike Hall vai ser lembrado como “um dos melhores ciclistas mundiais de resistência”.