Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Felipe Cruz forja ataque

Silva Cacuti - 25 de Agosto, 2015

Felipe Cruz privilegia trabalhos de ataque em bloco para consolidar o sistema defensivo da Selecção Nacional

Fotografia: José Soares

A Selecção Nacional sénior masculina de andebol, que projecta a participação nos 11º Jogos Africanos de Brazzaville, República do Congo, trabalha hoje no aprimoramento das acções ofensivas, em continuidade do plano de trabalho iniciado ontem. Depois de ter incidido a preparação nos aspectos defensivos, na semana anterior, Filipe Cruz, seleccionador nacional, destacou as acções ofensivas como foco das jornadas de trabalho. 

"Efectivamente, já temos as matrizes defensivas bem delineadas, mas falta a consolidação. A partir desta semana, começamos a introduzir conteúdos do jogo ofensivo. Tivemos hoje (ontem) o primeiro contacto e, sobretudo, esta semana, 75 por cento do nosso trabalho vai incidir nisso", disse.
Filipe Cruz está a trabalhar para ter uma equipa forte defensivamente e que esteja em condições de tirar proveito das situações de ataque, independentemente, de estar em vantagem numérica, desvantagem ou superioridade.

"A equipa tem de tudo, atletas muito bons e outros maus na finalização. Só a competição nos pode avaliar, mas o perfil que tento introduzir é de defesa dura e saída rápida para o ataque", disse. Ontem, a equipa fez uma sessão de ginásio no 11 de Novembro, virada para a força explosiva.
Na terceira semana de trabalho, a equipa nacional não tem ainda jogos de preparação agendados e o treinador começa a prever dificuldades já que a maioria das equipas do país tem os seus atletas em defeso.

"Vamos trabalhar com o que temos. Se pudermos, vamos tentar encontrar aqui uma equipa que ainda esteja a trabalhar", comentou a propósito
Segundo apuramos, o Ministério da Juventude e Desportos, que assumiu a preparação das equipas para esta missão africana, ainda não garantiu a participação da selecção nacional num torneio de quatro nações, a convite do Gabão. A Selecção Nacional sénior masculina vai aos Jogos Africanos de Brazzaville com objectivo de chegar à final.

GUGÚ APONTA
BOA DISPOSIÇÃO

O pivot da selecção nacional Augusto Dinzeia Pedro "Gugú" disse ontem que os trabalhos da Selecção Nacional decorrem num ambiente de camaradagem marcado por muita entrega de todos os integrantes do grupo. Indicado a falar pelos colegas, o jogador do 1º de Agosto destacou a disposição dos colegas.

"Até agora, tem estado a correr tudo bem. Hoje (ontem) foi o nosso primeiro treino no esboço do que vai ser a nossa estrutura ofensiva. A equipa tem estado a responder bem; esperamos que continue assim, na expectativa de que cada dia vai ser sempre melhor", assegurou. Filipe Cruz não escondeu o perfil de jogo que deseja e, da parte dos atletas, Gugú disse haver já uma correspondência às intenções do técnico.

"Temos uma equipa maioritariamente jovem que sabe o que a equipa técnica quer. Todo o mundo, que está campo, tem de defender e atacar. Vamos trabalhar com este objectivo, porque uma das nossas principais armas é o contra-ataque e, para tal, se jogarmos todos como o treinador deseja, vamos cumprir o nosso objectivo", disse.

A equipa de Filipe Cruz integra 22 atletas, nomeadamente, Augusto Dinzeia "Gugú", Belchior Camuanga "Show Baby", Edvaldo Ferreira "Moreno", Elsemar Pedro, Agnelo Quitongo, Geovany Muachissengue, Osvaldo Mulemessa, Rome Hebo e Sérgio Lopes (1º de Agosto), Adelino Pestana, Edgar Abreu, Julião Gaspar e Liliano Pedro (Interclube), Declerck Sibo, Enio de Sousa, Gilberto Figueira, Henrique Cassange e Manuel Nascimento (Marinha de Guerra), Heleotério Pensamento, Mário Tati e Mayomona Panzo (Petro de Luanda). Na última edição dos Jogos Africanos disputada em Maputo, Moçambique, Angola jogou a final do torneio diante do Egipto.