Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Felipe Massa alerta a Williams

11 de Maio, 2016

O GP da Rússia foi a primeira etapa em que a Williams bateu a Red Bull neste ano

Fotografia: AFP

A Williams saiu satisfeita do GP da Rússia, tanto por obter o melhor resultado enquanto equipa desde o GP da Itália disputado em Setembro, quanto pela evolução trazida pelas novas peças que estrearam em Sochi. Porém, Felipe Massa alerta: se a equipa não crescer mais em Espanha, muito provavelmente fique atrás da sua grande rival nesta temporada, a Red Bull.

"A Espanha é uma pista que todos conhecem muito bem, é onde acontece a maioria dos testes", lembrou Massa à Band News FM. "Espero que continuemos o que estamos a fazer: evoluindo o carro."O GP da Rússia foi a primeira etapa em que a Williams venceu a Red Bull, neste ano: Valtteri Bottas foi o quarto colocado e Massa, o quinto, enquanto Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat envolveram-se em embates na primeira volta e nem sequer pontuaram. Além disso, a equipa anglo-austríaco não teve um bom rendimento durante todo o final de semana, em Sochi. Massa, contudo, acredita que isso possa ser diferente em Barcelona.

"Sabemos que é uma pista em que a Red Bull estará bem melhor do que na Rússia, então precisamos continuar a evoluir para estar na luta com eles. A Red Bull é a equipa principal para batermos porque todos os pontos são importantes para vermos quem chega na frente, no final do campeonato."
O GP de Espanha vai ser a quinta etapa do campeonato, que tem como líder Nico Rosberg, e é disputado neste final de semana.

BERNIE ECCLESTONE
CRITICA PROTECÇÃO
Muito esforço para pouco resultado. É a opinião do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, à respeito da instalação da protecção de cockpit, que pode tornar realidade a partir da próxima temporada. "Não gosto da aerotela e não acho que isso salve alguém", afirmou Ecclestone em entrevista  no GP da Rússia.A protecção passou por testes de segurança e aguentou o impacto de um pneu de 20kg lançado a uma velocidade de 225km/h. A grande preocupação é justamente com o impacto de peças do carro no capacete, responsável por mortes mais recentes no automobilismo, como do britânico Justin Wilson, na F-Indy.

Para Ecclestone a protecção tem um ponto positivo: ajuda a tornar as corridas mais imprevisíveis."Como tudo na vida, precisa olhar o lado positivo e a única coisa boa é que vamos ter vários pit stops porque  vão precisar  de entrar nas boxes para limpar a tela."A decisão final sobre a adopção da protecção extra no cockpit deve ser tomada antes dia 01 de Julho, de acordo com a Federação Internacional de Automobilismo. Estão 'em concurso' as soluções da Red Bull - a aerotela, testada na Rússia - e da Mercedes - o halo, testado pela Ferrari na pré-temporada.