Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Felipe Massa elogia equipa da Ferrari

10 de Maio, 2017

Equipa italiana tem mostrado grande eficácia neste início de temporada de 2017

Fotografia: Alexander NEMENOV | AFP

Nos últimos meses, da última temporada da Fórmula 1, com a Mercedes já campeã do mundial de pilotos,  falava-se quem seria a equipa para lutar com os alemães em 2017.

Principal concorrente à época, a Red Bull era tida como a segunda força da categoria, mas foi a Ferrari quem despontou e está a liderar o campeonato com Sebastian Vettel. Para o brasileiro Felipe Massa, o surpreendente trabalho dos italianos é ainda mais significativo, pela falta de um grande nome na equipa técnica.

“Acho, que a Ferrari está a fazer algo que ninguém esperava esse ano. E, isso é muito bom. Mostra que tem o Adrian Newey na equipa não significa que tudo vai ser melhor que o das outras”, afirmou o ex-piloto da Ferrari, a agitar a Red Bull, que conta com o projetista Adrian Newey, tido por muitos  como um dos melhores da história da Fórmula 1.

Actualmente na Red Bull, o engenheiro britânico tem no currículo as Williams dos anos 1990 de Ayrton Senna, Alain Prost, Nigel Mansell, Damon Hill e Gilles Villeneuve, assim como a McLaren de Mika Hakkinen e a Red Bull tetracampeã de Vettel, entre 2010 e 2013. “Acho que se colocar pessoas para trabalhar juntas, em diferentes áreas, mesmo se eles não tiverem um nome conhecido, podem fazer um bom trabalho”, acrescentou Massa.

Ao contrário de 2016, quando foi a única equipa a vencer a Mercedes – duas vezes –, na actual temporada,  a Red Bull conquistou um pódio com o terceiro lugar de Max Verstappen, no GP da China. A Ferrari, por sua vez, venceu duas das quatro corridas e lidera o mundial de pilotos e montadora.
“Se me perguntasse em Novembro, eu diria que a única equipa que podia disputar com a Mercedes era a Red Bull. Em algumas corridas, no ano passado, eles estavam a fazer um trabalho realmente bom. O motor da Renault podia não ser incrível, mas estava a melhorar. A Red Bull não fez o carro certo. A Ferrari fez”, completou o actual piloto da Williams.

DECISÃO
Jenson Button
recusa regresso


Jenson Button  aposentou-se da Fórmula 1, no final da última temporada, e apesar de estar na pista no próximo Grande Prémio do Mónaco, pela McLaren, para substituir o espanhol Fernando Alonso, que vai correr nas 500 milhas de Indianápolis na mesma data, o britânico não está a demonstrar grande interesse no regresso, segundo conta o seu ex-companheiro de pistas, Marc Webber. Webber, que correu ao lado de Button durante mais de dez anos, confirmou que o colega não se mostra determinado em conhecer o carro, na sessão de testes do Bahrein, no mês passado.

“Jenson no Mónaco é uma não -história. Ele não fez nenhum teste no Bahrein, não está a  levar isso à sério. ‘Quero ficar na América, e fazer meu triatlo, não estou preocupado com o teste no Bahrein’, o que para mim foi uma surpresa”, afirmou o ex-piloto.

A indiferença de Button, com relação aos testes ,impressionou também o brasileiro Felipe Massa, que considerava necessário que o britânico fosse com o  carro para a pista, ao menos uma vez, antes da temporada chegar ao Mónaco.No final de semana, na prova Button vai participar dos treinos livres e classificatórios antes da corrida. Sessões que não devem mostrá-lo empenhado em entregar um grande desempenho, crava Webber. “A primeira sessão no Mónaco será sonolenta. Não acho que ele esteja muito interessado. E, não penso, que ele foi o primeiro da lista para substituir Alonso”, comentou.

PAGAMENTO
Revista indemniza
família de Schumi


A família de Michael Schumacher ganhou um processo contra revista Bunte ,na sexta-feira dia 5. Em 2015, a publicação afirmou que o piloto voltou a andar, e  na época os familiares do heptacampeão da Fórmula 1 negaram a informação. Após decisão, o periódico alemão vai ter de pagar 50 mil euros.

Schumacher está em recuperação, desde que sofreu um acidente, enquanto esquiava em Méribel,  França, no fim de 2013. Desde então, a família do piloto evita a imprensa e divulga poucas informações sobre o seu estado de saúde. Dois anos após o acontecimento, a revista Bunte afirmou na  capa, que o alemão já podia caminhar, entretanto, a notícia foi negada por Sabine Kehm, porta-voz da família.

Começou então um processo judicial contra a publicação. A acção chegou ao fim apenas na sexta. Com o veredito, além da indenização, a empresa também deve arcar com o custo do processo. A decisão foi feita por uma corte de Hamburgo, localizada no norte da Alemanha, contudo, a revista pode recorrer.

Segundo a Agência de Notícias Alemã (dpa), a família solicitou a reparação no valor de 100 mil euros. Entretanto, por entender que a revista contava com um informante e que a responsabilidade não é apenas da impressa, a indenização foi reduzida.