Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Fernando Alonso apontado na Audi

18 de Outubro, 2014

Fernando Alonso conquistou títulos com a Renault e coleccionou os vice-campeonatos mundiais na era do tetracampeão alemão Sebastian Vettel

Fotografia: AFP

A especulação em torno do futuro de Fernando Alonso está ao rubro. O espanhol deixa a Ferrari no final da presente época e tem vindo a ser associado à McLaren e num cenário mais complexo também à Mercedes. Agora surge uma outra possibilidade: o Mundial de Resistência. Esta especulação está directamente ligada ao novo trabalho de Stefano Domenicali, que exerceu o cargo de director desportivo da Ferrari entre 2007 e até Abril deste ano.

O italiano prepara-se para assumir um cargo na Audi e apesar de poder ficar afastado da área de competição, a sua forte ligação a Alonso serviu de imediato como pretexto para mais um rumor.

De resto, também é público o desejo do piloto de participar na prova rainha da resistência, as 24 horas de Le Mans, onde a Audi é campeoníssima. Todavia,  o cenário é ainda mais complexo do que podia levar Alonso a entrar na Mercedes já em 2015.

HISTÓRIA DA FERRARI

Ganhar corridas e ir ao pódio na Fórmula 1 é muito mais fácil quando se larga na primeira fila. Essa situação mostra o quanto Fernando Alonso, que vai deixar a Ferrari no final da época, conseguiu fazer com os medíocres carros que a equipa italiana lhe ofereceu durante cinco anos.

O espanhol vai deixar a Ferrai numa posição “cómoda,” entre os cinco melhores na história da equipa em vitórias e pódios. O espanhol tem o recorde de pontuação (nesse caso beneficiado pela mudança no sistema de pontos, agora mais generoso).

No ranking de primeiras filas, o espanhol é hoje apenas o 21º na história da Ferrari, com apenas sete vezes a largar na primeira ou na segunda posição (foram só quatro poles).

É só comparar com o maior nome da história da F-1, Michael Schumacher, para se notar o quanto Alonso precisou de fazer corridas de recuperação para levar um carro incapaz de bons resultados nos treinos e largar no meio do pelotão para vitórias e pódios.

O espanhol, entre os dez maiores vencedores da Ferrari, é o único que tem um número maior de vitórias (11) do que primeiras filas (7). Já Schumacher venceu 72 vezes pela Ferrari e em 91 corridas largou na primeira fila. Alonso foi ao pódio 44 vezes a conduzir uma Ferrari com as suas modestas sete primeiras filas.


GP BRASIL
Pirelli altera pneus


Após o alerta de Felipe Massa e uma série de críticas, a Pirelli decidiu alterar as suas opções de compostos de pneus, para o Grande Prémio do Brasil de F1. A prova está programada para o dia 9 de Novembro no autódromo de Interlagos em São Paulo.

O piloto da Williams avaliou que a decisão de levar os pneus médios e duros podiam tornar a prova “perigosa”, já que o traçado de São Paulo está a receber uma camada totalmente nova de asfalto.

A montadora italiana reavaliou a situação e decidiu alterar os compostos de borracha da corrida para os macios e os médios.

“Sempre dissemos que sempre estávamos abertos a mudanças se estas forem solicitadas”, declarou Paul Hembery, director desportivo da marca.

O dirigente prosseguiu que depois de uma análise técnica ao impacto do novo asfalto, a montadora decidiu fazer a mudança com a concordância unânime das 11 equipas. Uma das preocupações com a nova superfície é com o super-aquecimento dos pneus. A Pirelli deixou claro que a alteração não é uma resposta directa aos comentários de Felipe Massa.

A F1 está de folga até o próximo dia 2 de Novembro, quando acontecer a 17ª etapa da época'2014 no circuito das Américas, em Austin, no Texas, Estados Unidos.