Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Fernando Alonso estreia MCL32

07 de Fevereiro, 2017

Espanhol da McLaren (à esquerda) está encantado com a nova época

Fotografia: AFP

Os motores já roncam nas fábricas e Fernando Alonso vai ter pela frente um 2017 de definições. No seu último ano de contrato com a McLaren, o bicampeão do mundo vai precisar de decidir se permanece na F1 ou se vai buscar novos desafios na sua carreira nas pistas. Antes de pensar no que vai fazer no futuro, o espanhol preferiu começar o ano de forma diferente, longe das redes sociais. Tudo em nome do bom preparo físico e também de um providencial descanso mental.

Fernando Alonso, um dos principais nomes da grelha, em que pese não ser campeão mundial há dez anos e estar sem vitórias desde 2013, está activo nas redes sociais. O espanhol preferiu dar um tempo em razão do descanso antes de voltar às pistas. O período de descanso também foi movido por um intenso trabalho de preparação física, sobretudo, em Dubai, onde mora. Tudo para voltar mais forte em um ano em que a McLaren espera evoluir em relação às últimas épocas.

“Olá! Estamos de volta. Um mês muito intenso e muito produtivo”, escreveu Alonso na sua conta no Instagram no último domingo. “Trabalho físico intenso, descanso mental necessário, novos projectos, novas colaborações, patrocinadores, boas notícias que contarei a vocês em breve”, complementou.

Em 2017, Fernando Alonso vai ter a missão de novamente liderar a McLaren e servir como referência ao novato Stoffel Vandoorne, o seu novo companheiro de equipa após dois anos ao lado do experiente Jenson Button, que deixou a F1 no fim do ano passado. O espanhol vai ser o principal nome a conduzir o MCL32, o novo carro da equipa de Woking, que vai ser apresentado no próximo dia 24, mesmo dia em que a Ferrari vai mostrar ao mundo o carro com o qual vai disputar o Mundial de F1 nesta época.

ROSBERG DEFENDE
ALONSO NA EQUIPA

Agora apenas como um fã da Fórmula 1, Nico Rosberg tem mais liberdade para opinar sobre o futuro da categoria e as escolhas das equipas para esta nova época que está prestes a iniciar-se. Em entrevista ao jornal espanhol Marca, o actual campeão mundial mostrou-se contrário à decisão que a Mercedes tomou após a sua saída da equipa.

“Agora, que sou fã, é muito fácil de responder. Todos dizem Alonso e digo-lhes também, porque seriam fogos de artifício com Hamilton, faíscas. Como fã, digo que seria bonito, mas para uma parte da equipa não pode ser. Então, encontraram uma grande solução. Bottas é rápido e ganhou de Massa três vezes de maneira similar à de Alonso, pode fazer muito bem. É claro que Lewis Hamilton vai estar a um nível muito alto e vai ser difícil de vencê-lo. Demonstrei que isso é possível”, comentou Nico Rosberg.

Nico Rosberg também comentou sobre a repercussão que a sua decisão de se aposentar da Fórmula 1 tomou após conquistar o campeonato mundial em cima de Lewis Hamilton. O alemão garante não se importar com as críticas que recebeu e se mostrou bastante satisfeito com o c de sair das pistas “por cima”.

“De maneira geral, calculo que 85 por cento das pessoas me aplaudiram com a decisão de encerrar a minha carreira por cima. É normal que sempre vai haver críticas, mas afinal ‘do que podem criticar-me?’. Mudei de trabalho e não há momento certo ou errado para fazer isso. Cada um tem as suas coisas e toma as suas decisões. Ninguém pode criticar a minha decisão. É impossível. É uma simples mudança de trabalho, simples”, completou.