Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari corre em Yas Marina para primeira vitria da poca

Altino Viera Dias - 12 de Novembro, 2018

Kimi Raikkonen quedou-se ontem na terceira posio do GP do Brasil

Fotografia: DR

Se, deste lado do oceano Atlântico, os angolanos festejaram ontem o 43ª aniversário da sua independência, do outro lado, os brasileiros festejaram mais um GP de Fórmula 1 realizado nas suas terras.
Lewis Hamilton, da Maercedes, foi o grande vencedor desta corrida realizada nas terras do Samba.  Max Verstapeen (Red Bull) ficou em segundo, Kimi Raikkonen (Ferrari) em terceiro, Daniel Ricciardo (Red Bull) em quarto, ao passo que Valterri Bottas (Mercedes) quedou-se na quinto posto.
Porém, depois do Grande Prémio do Brasil, realizado ontem, dia 11 de Novembro, no Circuito de Interlargos em São Paulo, Brasil, vem aí o Grande Prémio de Emirados Árabes Unidos, que terá lugar em Yas Marina, em Abu Dhabi, a 25 do corrente mês.
Será a vigésima primeira e última corrida do campeonato de Fórmula 1 de 2018. Tal como no Brasil, o Grande Prémio de Abu Dhabi é um dos poucos circuitos na actual grelha do campeonato de Fórmula 1 a ter sentido anti-horário.
O último vencedor do GP Abu Dhabi foi o finlandês Valtteri Bottas da Mercedes em 2017. Yas Marina sempre recebeu muito bem o alemão Sebastian Vettel e o inglês Lewis Hamilton, que são os maiores vencedores do GP de Abu Dhabi.
O primeiro venceu em 2009, 2010 e 2013, pela Red Bull, e o segundo em 2011 pela McLaren e em 2014 e 2016 pela Mercedes. Eles desejam superar-se um ao outro e tudo farão para sair de Abu Dhabi com a quarta vitória neste circuito.
Para Vettel, a vitória servirá apenas para consolo de mais um recorde, porque a campanha pelo título se desmoronou totalmente no México, com Hamilton a sagrar-se penta campeão; e para Hamilton, o desejo é terminar em grande no campeonato, já que o título é um facto consumado.
Facto curioso é que esta será a nona vez, que a Ferrari vai tentar vencer em Yas Marina, pois só a Red Bull, McLaren, Lotus-Renault e a Mercedes conseguiram vencer em Abu Dhabi, e ambos os pilotos da Ferrari (Sebastian e Kimi) já venceram em Yas Marina, mas na altura corriam em outras escuderias: Vettel na Red Bull e Kimi na Lotus-Renault. Os motores da Renault e Mercedes têm sido os grandes carrascos da Ferrari em Abu Dhabi, com a seguinte ordem de vitórias: Red Bull Renault 2009, 2010 e 2013; McLaren Mercedes 2011; Lotus-Renault 2012 e a Mercedes 2014, 2015, 2016 e 2017.
A pergunta antes da corrida será: serão os Ferraris, na sua nona tenta tentativa, capazes de bater os carros com motor Mercedes ou Renault?
Olha que em Austin, nos Estados Unidos da América, a Ferrari nunca tinha vencido e saiu de lá no lugar mais alto do pódio, com Raikkonen a bater Verstappen e Hamilton, sem este (s) terem capacidade de resposta.
O vencedor do Grande Prémio de Abu Dhabi, que se disputará em Yas Marina é ainda uma incógnita, mas Verstappen e Ricciardo não desejam deixar os seus créditos em mãos alheias e tudo farão para entrar na célebre lista dos vencedores do GP Abu Dhabi e juntarem-se a Vettel, Hamilton, Raikkonen, Rosberg e Bottas.
No entanto, não é só de Mercedes, Ferrari, Red Bull, Hamilton, Vettel, Raikkonen, Bottas, Verstappen e Ricciardo que vive a Fórmula 1, pelo que, a julgar  pelas características  do circuito de “Yas”, que é muito propenso a incidentes de corrida (o que pode causar inúmeras entradas de Safety Car), poderemos ter um surpresa e o vencedor não sair das equipas do top, uma hipótese “duvidosa” mas não impossível.
Então, com muita exigência física para os pilotos, 55 voltas, 20 curvas, um percurso de 5.554 quilómetros (3.451 m), vamos esperar, para assistirmos o regresso do roncar dos ‘aviões terrestres’, naquela que será a última corrida do campeonato, com lutas acirradas entre os pilotos e equipas.