Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari discorda de Ecclestone

25 de Dezembro, 2014

Os dois acreditam que esta reformulação não pode demorar a acontecer, caso contrário, a categoria vai perder cada vez mais seguidores.

Fotografia: AFP

A nova cúpula da Ferrari, formada pelo presidente Sergio Marchonne e pelo chefe Maurizio Arrivabene, não está contente com a actual situação da F-1. Ambos acreditam que a categoria mais tradicional do automobilismo mundial precisa de renovar-se para que se consigam novos fãs e não seja esquecida pelas gerações mais jovens.

“Devemos simplificar, racionalizar e tornar o desporto muito mais atractivo para o mundo em que vivemos. De contrário, corremos o risco de apenas tirar selfies e nada mais”, afirmou Marchonne. Arrivabene disse que as pessoas precisam de responder às necessidades dos fãs ou encontrar pistas vazias e atribuir os prémios, porque ninguém vai assistir mais às corridas.  Os dois acreditam que esta reformulação não pode demorar a acontecer, caso contrário, a categoria vai perder cada vez mais seguidores.

Assim, esperam que em 2015, a organização pense em medidas mais atractivas para o público. O presidente da escuderia italiana disse que o grupo deve fazer uma “verdadeira revolução e trabalhar nisso” em 2015. “Temos uma real possibilidade de fazer um show lá e uma oportunidade real de dar algum acesso aos jovens.

Não precisamos de um novo regulamento para fazer isso, só precisamos da vontade de fazer”, argumentou o chefe da Ferrari.A dupla vai na contra-mão do discurso de Bernie Ecclestone, dono da Fórmula 1, que insiste em não modificar o estilo da categoria para que seja acessível às pessoas mais jovens. O chefão defendeu “este tipo de fãs não é rentável para a organização”.

“Não há motivo para tentar atingir essas crianças, porque não vão comprar nenhum dos produtos, e se os publicitários estão a mirar este público, talvez devessem anunciar na Disney”, brincou Ecclestone.

Haas F1 Team  compra fábrica

À espera da época de 2016 para estrear na Fórmula 1, Gene Haas garantiu a sede europeia para sua equipa. A fábrica, que pertencia à Marussia, foi comprada pelo dono da nova equipa da principal categoria de automobilismo: a Haas F1 Team. Além da sede em Banbury, na Inglaterra, Hass também pode ter adquirido os dados e projectos da Marussia para a época'2015.

Com a compra da base europeia, a Hass vai ter dois “quartéis-generais”. A estrutura de Banbury junta-se à sede norte-americana, em Kannapolis, na Carolina do Norte. A equipa norte-americana vai estrear-se em 2016, com os motores Ferrari. Desde 1986 que uma equipa dos Estados Unidos não disputa a F-1. Na ocasião, a Haas Lola disputou duas épocas.