Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari domina pr-poca

07 de Março, 2016

Maurizio Arrivabene

Fotografia: AFP

A Ferrari liderou cinco das oito sessões de testes da pré-época'2016 e diz estar pronta para desafiar os actuais bicampeões mundiais, depois de apostar em modificações extensas no carro e no motor.

Sebastian Vettel está satisfeito com a aposta da Ferrari para rivalizar com a Mercedes. Em declarações à imprensa, o alemão disse que "a primeira impressão do carro foi boa e tudo o que veio depois também".

O tetracampeão manifestou que está contente com o passo dado, e com o actual momento. "O objectivo era diminuir a diferença para a Mercedes. Começamos a fazer isso no ano passado. Com o carro novo, demos outro passo, se foi o suficiente vamos ver na Austrália", disse. No que depender da opinião de Nico Rosberg, a Mercedes já tem motivos para começar a preocupar-se. O vice - campeão disse que "a Ferrari foi muito rápida e está perto de todas as equipas, têm os seus estrategas e a Mercedes não tem a certeza se está à frente ou atrás".

Ao contrário dos rivais que se focaram em simulações de corridas e usaram prioritariamente os pneus médios, mais lentos, a Ferrari mesclou os ensaios de Grande Prémio e de classificação ao utilizar todos os tipos de compostos. Assim, os pilotos da equipa fecharam o teste com alguns dos melhores tempos estabelecidos na pré-época.

A melhor marca nos novos pneus ultra-macios, por exemplo, ficou com Kimi Raikkonen e foi quase meio segundo mais rápida que a rival que aparece mais perto da equipa italiana, a Williams. Já com o super-macio, Sebastian Vettel foi o melhor e colocou oito décimos em Felipe Massa. Com os macios, a diferença foi menor: Raikkonen fez a marca mais rápida, 13 milésimos melhor que a Mercedes de Nico Rosberg (na única saída com esse tipo de pneu da equipa alemã) e com menos de dois décimos de vantagem para Massa.

A pouca quilometragem da equipa em relação à Mercedes também preocupa: a Ferrari perdeu tempo com problemas relacionados a unidade de potência, que sofreu alterações no posicionamento dos componentes.

 Assim, a equipa foi o quarto em termos de quilometragem ao perder para Mercedes, Toro Rosso e Williams. Porém, o chefe da equipa garantiu categoricamente que "a Ferrari não tem um problema no motor".

TORO ROSSO
Sainz exalta
recuperação


A Toro Rosso passou uma óptima impressão na pré-época da F1, em Barcelona. A equipa italiana foi mais uma vez uma dos mais rápidas e viu Carlos Sainz Jr. cravar a segunda melhor marca ao completar as impressionantes 133 voltas. O piloto espanhol esbanjou confiança com o rendimento da equipa e afirmou que todos da equipa estão ansiosos para o início do campeonato.

O jovem piloto falou em um óptimo dia para a Toro Rosso e felicitou todos os membros da equipa. Carlos Sainz afirmou que vê a equipa de Faenza fazer um bom papel em Melbourne.

"Estou muito feliz e animado. A primeira coisa que preciso fazer é felicitar a equipa pelos excelentes testes que fizemos. Não vejo a hora de chegarmos a Melbourne. Estamos todos muito confiantes e tudo parece muito bom", disse.

Carlos Sainz explicou que a estratégia da Toro Rosso definiu como preferência a utilização de pneus ultra-macios para obter voltas rápidas nos períodos da manhã, e reservou à tarde para simulação de corrida. Para o piloto número 55, tudo correu perfeitamente bem.

"Testamos os ultra-macios e funcionou bem como esperávamos. Conseguimos completar o nosso programa de simulação de corrida sem maiores problemas", comentou.A Toro Rosso teve um início de trabalho tardio e prejudicada pela demora na confirmação dos motores Ferrari. O piloto exaltou a recuperação da equipa.
"Foi uma óptima maneira de fechar um período fantástico de testes, após um Inverno tão difícil. Estar aqui e completamos tantas voltas todos os dias foi fantástico. Não vejo a hora do campeonato começar", completou.

OUTRAS EQUIPAS
A Force Índia impressionou pelos tempos marcados com os super-macios, mas ainda tem trabalho a fazer em relação ao ritmo de corrida. O carro da Red Bull também mostrou qualidades e a equipa mostra-se optimista. O consultor Helmut Marko fala até em “melhor carro da história” da equipa.

As outras equipas formam o último pelotão. A Renault pode conseguir um salto para o pelotão do meio, mas precisa de desenvolver um modelo, que só a partir de Outubro passou a ser desenhado para receber os propulsores franceses. A novata Haas completou um bom número de voltas e superou com sucesso um problema na asa dianteira. A Sauber andou com o carro de 2015 e só vai estrear o novo na semana que vem. A Manor é candidata a ficar na lanterna, mas fez um trabalho decente na primeira semana de testes.