Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari preocupa Lewis Hamilton e Mercedes

10 de Julho, 2018

Mais duro nas criticas ao comportamento dos pilotos da Ferrari, foi James Allison, director tcnico da Mercedes.

Fotografia: AFP

O domingo não foi bom para a Mercedes nem para o seu principal piloto, Lewis Hamilton, que correu em casa no fim-de-semana, em que depois de dominar os treinos livres e conquistar a \"pole position\", não conseguiu manter a hegemonia na corrida, após terminar na segunda posição, atrás de Sebastien Vettel, em Silverstone, no Grande Prémio de Inglaterra. E, a primeira polémica entre os dois construtores, Ferrari e Mercedes, foi lançada, depois da equipa de Brackley sofrer dois toques dos Ferrari, nas últimas três corridas, o que está a provocar críticas do lado do construtor alemão. Valtteri Bottas sofreu um toque Sebastian Vettel, na primeira curva do GP de França,  no domingo, no GP da Grã-Bretanha, Kimi Raikkonen cometeu um erro em Silverstone, logo após a partida, acabou por acertar em Lewis Hamilton na curva 3, o que levou o piloto da Ferrari fosse penalizado em 10 segundos. Hamilton recuperou do último lugar, até à segunda posição em que terminou, mas mostrou que não ficou nada satisfeito com o comportamento do finlandês da Ferrari. “A equipa fez um trabalho incrível, durante fim de semana, tínhamos muito apoio e muita pressão em cima de nós. Do lado deles, estão a usar tácticas interessantes, diria eu. Mas faremos o que pudermos para lutar e melhorar nas próximas corridas”, afirmou Hamilton
 Toto Wolff, responsável pela equipa da Mercedes na Fórmula 1, afinou pelo mesmo diapasão  que Hamilton,  em declarações à Sky Sport lembrou que já são muitos pontos perdidos: “Um incidente de corrida. Infelizmente, em Le Castellet fomos postos fora,  agora em Silverstome foi a segunda vez que isso aconteceu. São muitos pontos que perdemos para o campeonato dos construtores”. Mais duro nas criticas ao comportamento dos pilotos da Ferrari, foi James Allison, director técnico da Mercedes.