Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari projecta a Mercedes

31 de Março, 2015

Ferrari conquistou o GP da Malásia com uma estratégia bem definida nas boxes

Fotografia: AFP

A vitória no Grande Prémio da Malásia foi um “acidente de percurso” para o director técnico da Ferrari, James Allison. O primeiro triunfo do piloto alemão Sebastian Vettel com a Ferrari não convence a equipa de Maranelo. Os membros da equipa encarnada projectam que a Mercedes permanece à frente e vai ganhar o Grande Prémio da China, próxima etapa do calendário da F1.

  “A pista era muito quente, complicado para os pneus. A nossa sorte foi que os nossos lidam bem com isso. Não sei o que aconteceu do outro lado da equação, mas com certeza vamos ter de trabalhar dobrado para conseguir algo tão impressionante como o que conseguimos na Malásia”, disse o director ao “Autosprint”.

  Mesmo desconfiado, Allison parece empolgado no que diz respeito à qualidade do novo piloto dos italianos, Sebastian Vettel. Seja como for, a meta para esta época é claramente tentar equiparar as forças com a Mercedes.“Sebastian encontrou vários problemas na Red Bull e chegou à Ferrari para viver a sua paixão com sucesso ao nosso lado. Desempenha um papel fundamental, trouxe a sua vasta experiência, mas primeiro tem de conhecer a equipa. Espero que ganhe um campeonato connosco. Isso vai acontecer se as coisas caminharem regularmente”, afirmou.

A falta de regularidade na qualidade do carro da Ferrari levou o director técnico a relembrar a época de Michael Schumacher. Segundo Alisson, o ex-piloto teve de lutar muito para conseguir ter sucesso e sagrar-se campeão. “Schumi lutou muito para provar que era o melhor em qualquer condição. Um bom piloto precisa tanto de um bom carro, quanto uma máquina potente precisa da motivação de um bom condutor. Temos de continuar a evoluir corrida a corrida. Assim Vettel se vai adaptar aos poucos”, finalizou.

" BOIA IDEIA"
F1 pode ganhar
prova feminina

No fim-de-semana, no qual a Fórmula 1 voltou a colocar em pauta sugestões para melhorar o seu “show” nos próximos anos, o chefão da categoria, Bernie Ecclestone, admitiu que há possibilidade das mulheres ganharem um campeonato “só delas” num futuro não muito distante. “Pode ser uma boa ideia para lhes dar mais fama; por alguma razão, as mulheres não estão a ser lançadas na F1. Isso não quer dizer que não as queremos”, disse Ecclestone em conversa com a imprensa britânica, na Malásia.

A ideia era que a Fórmula 1 promovesse corridas femininas exactamente nos mesmos finais de semana da competição tradicional. As provas das mulheres ocorriam antes das dos homens, servindo como uma espécie de prévia, ou até mesmo no sábado, dia em que tradicionalmente são disputados os treinos classificativos.

“Temos de começar por algum ponto; sugeri que as equipas tenham um campeonato feminino separado. Neste momento, é apenas um pensamento. Era muito bom para a F1”, afirmou Ecclestone, antes de também admitir interesse nos lucros. “Elas atraem muita atenção e publicidade para a categoria”, completou.Actualmente, há somente duas mulheres na Fórmula 1: Susie Wolff (piloto de testes da Williams) e a recém-contratada Carmén Jordá (piloto de desenvolvimento da Lotus).