Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ferrari promete "caa" Mercedes

07 de Janeiro, 2016

Nome e grficos do novo carro da Ferrari j esto prontos na fbrica

Fotografia: AFP

A Ferrari é a grande candidata, a ameaça do domínio da Mercedes, na Fórmula 1. A equipa de Maranello reconheceu que se atrasou no arranque dos esforços, no desenvolvimento do carro de 2016, para melhorar ao máximo o monolugar do ano passado durante a época. Em 2015, depois de passar o ano anterior com dois pódios e sem vencer, a Ferrari colocou-se 13 vezes entre os três primeiros e conquistou três vitórias.

Para o sucesso, a equipa teve de focar-se no desenvolvimento do carro, durante todo o ano, o que atrasou o projecto de 2016. Ainda assim, o presidente Sergio Marchionne está confiante de que a equipa possa chegar à na primeira etapa na Austrália, no dia 20 de Março, ao mesmo nível da Mercedes."Maurizio Arrivabene, chefe da equipa, vai dizer-vos que atrasamos algumas coisas para acabar o carro de 2015. Tomara, que não insista muito nisso. Atrasamos um pouco o trabalho no carro para 2016, mas já adequamos o cronograma e temos os recursos financeiros adequados para fazer a coisa certa, em relação às regras. Então, estou confiante de que vamos desafiar a Mercedes", disse.

Entre 2015 e 2016, apenas alguns detalhes foram alterados, no regulamento técnico. "Abordamos o carro de 2016 com uma ideia muito clara e uma interpretação muito clara. É incrivelmente pouco possível, que o carro não dê um grande desafio, à Mercedes. Não tenho nenhuma desculpa a dar-vos este ano, pois desenvolvemos o carro em tempo correcto", defendeu o presidente.

ARRIVABENE TORCE
POR KIMI RAIKKONEN

Para ver o seu desejo tornar-se realidade, Maurizio Arrivabene, torce para Kimi Raikkonen melhorar muito em relação à época passada, quando marcou 150 pontos, pouco mais de metade dos 278 somados por Sebastian Vettel.A época de estreia do alemão, na Ferrari, foi quase perfeita, dada a diferença técnica que separou a equipa italiana da Mercedes em 2015. O tetracampeão conquistou três grandes vitórias, em Sepang, Hungaroring e Singapura e garantiu 13 pódios, uma marca record para um estreante em Maranello. Mas Kimi Raikkonen, no segundo ano do regresso à equipa italiana, novamente decepcionou.

O finlandês marcou três pódios, dos quais o segundo lugar no Bahrein, o seu melhor resultado,  terminou o Mundial com 150 pontos, pouco mais de metade dos 278 logrados pelo parceiro Vettel. Desta forma, até mesmo para garantir que a Ferrari tenha dois pilotos fortes, em condições de colocar por terra o poderio da Mercedes, Maurizio Arrivabene torce por Raikkonen, mais próximo de Vettel em 2016.

O chefe da Ferrari não poupou elogios ao tetracampeão e ressaltou a evolução de Raikkonen na segunda metade do campeonato, mas deixou claro que espera mais do finlandês, último piloto a ser campeão pela Ferrari, em 2007.“Sebastian Vettel é um grande piloto e a Ferrari precisa dele. Raikkonen esteve muito bem na segunda metade da época 2015. Desejo que haja mais disputas entre os dois”, comentou o dirigente italiano. A respeito dos trabalhos no carro, com o qual vai tentar bater a Mercedes, neste ano, Arrivabene disse que está tudo bem encaminhado. O nome e os gráficos já estão prontos e no momento certo dão a conhecer tudo.