Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Festival dos Pioneiros foi um éxito

08 de Abril, 2015


O ano de 1976 marcou o começo da massificação do hóquei em patins no país, pois, os patins rolavam debaixo de uma nova filosofia, virada para servir os interesses daqueles que desde sempre estiveram privados de manterem um contacto estreito com a modalidade.
Socorremo-nos das páginas do Jornal de Angola, no dia 12 de Outubro para falar do Torneio Pré-selecção,  prova entre as diversas escolas da capital do país e que movimentou dezenas de crianças nos primórdios da Independência Nacional, e da qual saiu, depois, uma nova geração de jogadores que, anos mais tarde, representou o país em provas mundiais. Samba, CDUA, Maianga, Ilha de Luanda, São Domingos, Bairro Popular, ASA, São Domingos, Terra Nova e CUCA, foram as escolas que estiveram em movimento.
Escrevia o matutino que "(...) "domingo à tarde, a cidade animou-se ali para os lados da Maianga. Havia festa. E festa alegre, animada pela jovialidade dos nossos Pioneiros..."
De acordo ainda com os relatos do JD, o Festival de Encerramento do Torneio Pré-selecção escolheu uma tarde de claro e um programa todo ele variado e colorido para se apresentar ao público luandense.
"Anunciando o começo da Festa, entraram no recinto em garboso desfile várias formações de Pioneiros, vestidos com os seus equipamentos desportivos e transportando as bandeiras da JMPLA, do MPLA e da República Popular de Angola. Representavam as várias escolas de hóquei e integravam o desfile também os jovens , que mais tarde, participariam na gingana sobre rodas. Os Pioneiros, sempre em formação, evoluíram, evoluíram depois pelo recinto executando execuções que foram vivamente aplaudidas pelos presentes. Após a execução de vários números de belo efeito cénico, onde se destacava a perfeição conseguida pelos jovens, o desfile terminou com os Pioneiros "construindo" eles mesmos, as iniciais "VC", correspondendo à frase revolucionária a Vitória é Certa, símbolo e guia de todo o nosso Povo na sua determinação longínqua de Libertar Angola de todas as formas de exploração. Desta forma, e perante muitos aplauso do público premiando o espectáculo de beleza executado pelos Pioneiros, terminou o desfile", lia-se ainda na edição de 12 de Outubro do Jornal de Angola.

ENCERRAMENTO
Equilíbrio nos dois  jogos

De acordo com o JA, dois jogos marcaram o encerramento do festival. Debaixo de um sol das quatro da tarde, abrasador e que obrigava à procura de algumas raras sombras, a entrada em campo das duas primeiras equipas em campo abrandou o vozear que ali havia para dar lugar a uma crescente concentração dos jovens jogadores e demais intervenientes.
Com as equipas do Kassenda e do São Domingos em campo, assistiu-se a momentos de bom hóquei, onde o golo esperado com muita ansiedade, concretamente da parte do kassenda que, com melhores valores individuais, e com um hóquei mais soltos. O único tento da partida só aconteceu aos 12 minutos mais muito por culpa do guarda-redes do São Domingos que, até então fazia tudo para negar o golo ao adversário. Evaristo foi o "homem" que marcou o único tento, ao aparecer em boa posição no ataque para marcar.
No segundo jogo, e quando o dia dava já lugar à noite, Maianga e Samba desceram ao recinto para proporcionar um jogo muito entusiasta. A primeira parte foi sem golos, mas claques ruidosas cantavam ao ritmo do jogo.
Era já noite quando a Festa terminou com a Maianga a desfeitear o adversário por 2-0, uma confraternização que foi um bom tónico para os Pioneiros.

FIGURA
ARGENTINA
YURI SIMÃO

Trazemos hoje mais alguém nascido muito depois de proclamação da independência nacional, mas que muito cedo abraçou a causa desportiva, prestando na sua área de serviço também válido contributo. Não assistiu aos Jogos de Amizade Angola/Cuba, nem ao torneio de futebol "Ano da Agricultura", os primeiros acontecimentos que contagiaram de emoção aqueles que já tinham alguma idade de ver e entender as coisas, mas toma os II Jogos da África Central como o acontecimento mais importante que lhe marcou nestes 40 anos de Angola independente. Yuri Simão de seu nome, é a gente Fifa e também promotor de espectáculos, destaca no futebol as qualificações ao CAN'96, ao mundial 2006 assim como a vitória da selecção Sub-20 em 2001 no Africano da Etiópia. Por razões já evocadas, a ele não perguntamos a localização no dia 11 de Novembro de 1975. E começamos assim:
Tendo nascido muito depois de 1975 que relatos foi ouvindo da independência durante a sua adolescência?
Bem desde a luta até à proclamação e as esperanças depositadas nela, a Dipanda seria superior à liberdade da maior idade na visão dos jovens daquela altura, seria o alavancar dos angolanos. E sendo assim, é normal que tivesse crescido a ouvir muitos relatos do transcendente acontecimento que resultou na viragem da página histórica do povo angolano. 
Embora não tenhas vivido os 40 anos, que acontecimento desportivo mais lhe marcou neste período de Angola independente?
Os jogos da África Central foram importantes na nossa afirmação regional e até continental, mas o primeiro Afrobasket, em 1989, que resultou na primeira medalha de ouro de Angola, em seniores masculinos, elevou o nome do país ao pódio de África. Para mim ficou marcado. Pois, como vimos, nas outras edições foi só somar.
A nível do futebol não houve nada de impacto que lhe tenha marcado?
Sem dúvidas três momentos: a primeira qualificação para o CAN da África do Sul em 1996, a conquista do ouro da selecção Sub 20 e a qualificação para a Copa da Alemanha em 2006.
O que gostava que tivesse acontecido no nosso desporto, mas que não ocorreu nestes 40 anos?
Gostava que tivéssemos uma profissionalização plena, não só na contabilidade desportiva e sua tesouraria, mas também na mentalidade que sairia do dirigismo desportivo para a gestão desportiva
Como agente desportivo como avalia o seu contributo no processo evolutivo do nosso desporto?
Bem o aspecto privado desportivo nos 40 anos ainda é novo, acabamos por estar nos pergaminhos da modernização do nosso desporto. tenho dado o meu contributo fruto da formação adquirida pessoalmente. Sou agente Fifa de jogadores, tenho o Curso Fifa Master em "Gestão Marketing e Direito Desportivo" da FIFA CIES/FGV, e com isso estou na implementação de gestão e comunicação desportiva com a venda de pacotes e direitos das maiores competições desportivas mundiais como (Copa do Mundo, Jogos Olímpicos e mundial de andebol.
 Considera positivo o nível de evolução do nosso desporto nos 40 anos ou nem por isso?
Para as condicionantes que o país viveu durante estes 40 anos considero positivo o balanço. Pois os resultados assim espelham. Fomos felizes nos primeiros anos fruto de uma estratégia forte e séria na base desportiva que deu para colher frutos com estes resultados. Mas como tudo, 40 anos é uma idade de mudança, pois há células que não se regeneram. o Estado angolano fez e continua a fazer um grande papel. A liderança política possui uma grande sensibilidade no desporto, e isso foi dado à prova nos investimento que se fez e se faz, fruto disso devemos aproveitar bem o que o Estado já fez, formando quadros para poder gerir as políticas desportivas e as infra-estruturas.