Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Fina ficou surpreendida com desistência do México

27 de Fevereiro, 2015

"A Fina ficou surpresa com o anúncio do México, pelo facto do investimento necessário para organizar o Mundial é amplamente compensada por benefícios económicos e sociais do próprio evento", afirmou Cornel Marculescu, director executivo da entidade.

"Comunicamos em breve as próximas etapas da organização do Mundial de 2017", completou o dirigente.

O México já tinha orçado 9,5 milhões dos 100 milhões de dólares necessários para a organização do Mundial. De acordo com o contrato assinado com a Federação Internacional de Natação (Fina)  em 2011, o Governo tem de pagar uma multa de cinco milhões de dólares por desistir de receber a competição.

Quando anunciou a desistência, Jesús Mena, director-geral da Comissão Nacional do Desporto (Conade) do país disse que já teve "a oportunidade de conversar com o presidente da Fina, Julio César Maglione, que lamenta esta situação, mas entende as circunstâncias e reitera o seu apoio às actividades aquáticas no país".

Afectado pela drástica queda dos preços do petróleo, o Governo mexicano anunciou no dia 30 de Janeiro um corte de cerca de 8,2 mil milhões de dólares nas dispensas públicas previstas para 2015.

Um dos principais projectos abandonados devido à revisão do orçamento foi o primeiro comboio-bala da América Latina, que devia ligar a Cidade do México a Querétaro.

O próximo Mundial de Natação, competição que se realiza de dois em dois anos, é realizado na cidade de Kazan, na Rússia.