Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Final militar no Nacional feminino

Helder Jeremias - 24 de Junho, 2016

Petrolíferas de Luanda sucumbiram ante o poderio das militares do Rio Seco

Fotografia: Kindala Manuel

O 1º de Agosto obteve o passe para a final da 37ª edição do Campeonato Nacional sénior feminino de andebol, mercê da vitória, ontem, à noite, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, por 31-23, sobre o Atlético Petróleos de Luanda. A partida foi pontuável para as meias finais da competição.
Ao intervalo, as militares do Rio Seco, orientadas pelo técnico Filipe Cruz, venciam por apenas um ponto (14-13), depois da formação do Eixo Viário ter assumido o domínio do jogo ao longo dos 24 minutos do período inicial.

Diante de uma moldura humana considerável e apoiadas pelas claques, as duas equipas protagonizaram uma partida com os condimentos que caracterizam o duelo dos emblemas mais expressivos do desporto nacional. Numa noite inspirada e com disciplina táctica, o Petro de Luanda deu evidências de estar a forjar um conjunto para o futuro, apesar de virem gorada a pretensão de desalojar do títulos as campeãs nacionais.

No 1º de Agosto, o resultado final representa um corolário para a revalidação do título. No confronto marcado para amanhã, a partir das 19h00, diante do formação da Marinha de Guerra, o favoritismo é sobejamente atribuído às militares do Rio Seco. As assimetrias na abordagem táctica do jogo com que as detentoras do título se tenha pautado e a qualidade técnica das executantes são dados adquiridos para o troféu. Por outro lado, as marinheiras fazem o grupo de viveiro do 1º de Agosto e estão longe de desfeitear as seniores.

A Marinha de Guerra obteve o passe para a final com vitória tangencial (20-21) diante da aguerrida  formação do Progresso Sambizanga. A fazer uma campanha surpreendente, a evolução das marinheiras retrai o técnico Felipe Cruz, do 1º de Agosto. Apesar de favoritismo, o técnico militar prefere não entrar em euforias e socorre-se de um discurso cauteloso.

"Vamos entrar para todos os jogos com a mesma determinação e respeito pelo adversário", disse.

Na abordagem sobre o jogo das meias-finais, Felipe Cruz assegurou que "foi uma partida muito difícil, tal como era de esperar, pois quando se trata do confronto com o 1º de Agosto, o Petro de Luanda aparece na sua melhor forma e força".

"As minhas atletas estiveram bem e souberam suportar toda a pressão para dar a volta por cima. Estamos na final e julgamos que, só com a mesma determinação, poderemos erguer o troféu após o jogo frente a Marinha de Guerra", disse Filipe Cruz.

Por seu turno, o técnico adjunto do Petro de Luanda, Edgar Neto, disse que a equipa está a cumprir com os objectivos que passam pela elevação dos níveis competitivos. O conjunto projecta um futuro promissor de forma que o afastamento da corrida pelo título "não impede a continuidade do trabalho gizado".

"Vamos manter a linha de trabalho, porque este grupo já nos permite vislumbrar dias melhores para o andebol do clube", teceu.

Ainda ontem, o Atlético Sport Aviação classificou-se em quinto lugar ao vencer a Casa Pessoal do Porto do Lobito por 24-21.

O Atlético Petróleos de Luanda e o Progresso Sambizanga medem forças hoje, a partir das 17h00, nas classificativas do terceiro e quarto lugares.

1º de Agosto  e Interclube
jogam amanhã a final

O 1º de Agosto e o Interclube aproveitam o dia de hoje para gizar as estratégias de jogo para a final do campeonato nacional sénior masculino, marcado para amanhã, a partir das 19h00, no pavilhão da Cidadela Desportiva.

Depois de terem afastado ontem o Atlético Petróleos de Luanda na meia-final, com os favoráveis 36-21, os militares do Rio Seco têm agora a dura missão de inviabilizar a campanha da equipa adstrita à Polícia Nacional, com vista a desalojá-la da titularidade.

A praticar um andebol rápido e constituído por atletas dotado de grande técnica, o Inteclube superiorizou-se noutra meia-final diante da Marinha de Guerra. A vitória atiçou a cobiça pela revalidação do título.

O Misto de Cabinda, que ontem venceu a modesta formação do Progresso Sambizanga, volta a jogar hoje diante da Marinha de Guerra, na disputa pelo terceiro lugar.