Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Force India quer lutar com Williams

20 de Novembro, 2015

Bob Fernley comenorou o avanço

Fotografia: AFP

Bob Fernley comemorou o “verdadeiro passo em frente” com a confirmação da Force India como quinta força do Mundial de Construtores em 2015. Mas o britânico quer mais e agora fala em lutar com a Williams na próxima temporada. Ambas contam com o mesmo motor Mercedes.

A temporada 2015 do Mundial de F1 vai entrar para a história da Force India como a melhor desde que a equipa fez a sua estreia na categoria, em 2008. Graças ao resultado do GP do Brasil, no último domingo (15), a equipa de Silverstone confirmou o quinto lugar no Mundial de Construtores, ocupando a posição que em 2014 foi ocupada pela McLaren.

Com uma dupla forte formada por Sergio Pérez e Nico Hülkenberg e contando com a unidade de potência da Mercedes, a melhor da F1 actual, a Force India comemora o feito, mas quer muito mais para o futuro e almeja lutar com a Williams, terceira força da F1, em 2016.

  “Isso demonstrou que demos um verdadeiro passo em frente. Nossa unidade de potência é a melhor, de modo que não acredito que tenhamos problemas e acho que com o chassi, isso se converte em um carro do top-5”, comemorou Bob Fernley, chefe da Force India, em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.

 Ousado, o engenheiro britânico fala em lutar ainda mais à frente na próxima temporada, uma vez que a Force India terá um orçamento maior em 2016 em razão do quinto lugar no Mundial de Construtores.

“Temos tudo o que precisamos para dar o próximo passo. O que temos de fazer é nos concentrar em competir com a Williams porque é uma equipe muito parecida, com activos parecidos, ainda com um pouco mais de orçamento em razão dos recursos que recebeu nos últimos anos. Queremos nos aproximar deles e acredito que chegamos mais perto nesta segunda parte da temporada”, declarou.

Entre as razões que fizeram com que a Force India desse um salto de qualidade, Fernley destacou a mudança do desenvolvimento aerodinâmico do carro para Colónia, na Alemanha, usando o túnel de vento da Toyota. Foi nesta base que a equipe anglo-indiana desenvolveu a especificação B do VJM08, que proporcionou um grande salto de qualidade depois do GP da Inglaterra.
 “O resultado de mudar o programa foi bom pra nós.