Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Frederic Vasseur é o novo chefe da Renault

09 de Fevereiro, 2016

Vasseur viu a evolução dos pilotos

Fotografia: AFP

O nome de Frederic Vasseur, novo chefe da Renault, é desconhecido para a grande maioria dos fãs de Fórmula 1. Afinal, o francês nunca teve qualquer envolvimento com a categoria. Porém, o dirigente conhece muito bem grande parte dos pilotos, inclusive Lewis Hamilton e Sebastian Vettel."É correcto que este é meu primeiro papel na F-1", disse Vasseur. "Mas passei por um grande aprendizado nas categorias menores e tenho muita vontade de traduzir tudo o que eu aprendi em todos estes anos no desafio que é a F-1. É uma nova experiência para mim, mas corridas são corridas e o objectivo é sempre o mesmo."

E de corridas - especialmente, de vencê-las - Vasseur entende bem. A relação do francês com a Renault remonta ao final da década de 1990 quando ele formou a equipa de F-3 ASM que usava os propulsores da marca. Não demorou para a equipa ter sucesso, conquistar títulos tanto no campeonato francês, como quando a categoria  uniu-se  com a F-3 Alemã.

Passando para a F-3 Europeia, Vasseur foi o chefe de Lewis Hamilton quando o britânico em 2005 protagonizou um dos campeonatos mais dominantes da história da categoria, ao lado do companheiro Adrian Sutil que também chegava  à Fórmula 1. No ano seguinte, era a vez de Paul Di Resta e Sebastian Vettel defenderem a ASM - com o título a ficar com o escocês. Em 2007, foi a vez de Romain Grosjean manter a ASM no topo. Em 2008, Nico Hulkenberg foi o campeão e no ano seguinte, foi a vez de Jules Bianchi manter a hegemonia da equipa de Vasseur.

Nesta época, a ASM tinha se associado a ART de Nicolas Todt, filho do presidente da FIA Jean Todt,  e empresário de vários pilotos da F-1. Sob o nome de ART Grand Prix, a equipa foi campeã da GP2 em 2005 com Nico Rosberg, em 2006 com Lewis Hamilton e com Hulkenberg em 2009. Na GP3, a equipa triunfou com Esteban Gutierrez em 2010 e Valtteri Bottas em 2011, todos esses nomes chegaram à F-1.

Mais recentemente, Vasseur comandou a equipa no título de Stoffel Vandoorne na GP2 e de Esteban Ocon na GP2. O belga é actualmente reserva na McLaren, enquanto o francês foi confirmado na semana passada para o mesmo papel na Renault.A chegada do francês na Fórmula 1 podia ter acontecido antes, caso as dificuldades financeiras não tivessem acabado com o projecto de fundar uma equipa em 2010. No entanto, de lá para cá, o dirigente apenas estreitou as suas relações com a Renault e construiu o chassis usado na F-E.

Agora na F-1, Vasseur tem a missão de agarrar numa equipa em frangalhos após o pouco investimento dos últimos anos, que passou por dificuldades financeiras nas mãos da Genii Capital e pretende transformar numa força do calibre de Mercedes e Ferrari. "Conhecemos o mapa (para o sucesso) e temos de obter resultados nas próximas três ou quatro temporadas. Primeiro temos de melhorar a organização da equipa e certificarmo-nos  de que o nosso motor vai funcionar bem, portanto, há muito que fazer."