Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Froome lamenta alegações de doping

17 de Julho, 2013

Chris Froome (Sky), lidera a Volta à França em bicicleta

O britânico Chris Froome (Sky), que lidera a Volta à França em bicicleta lamentou as insinuações de recurso a substâncias ilícitas, um dia depois de ter conquistado o Mont Ventoux, na 15ª etapa da prova.“Honestamente, acho triste, no dia seguinte à maior vitória da minha carreira, sentar-me aqui e falar-se de doping. Eu e os meus colegas de equipa passámos várias semanas longe de casa a treinar, a matar-nos a trabalhar... e acusam-me de ser um batoteiro e um mentiroso. Isso não é nada agradável”, afirmou Chris Froome, que lidera o “Tour” com mais de quatro minutos de vantagem sobre o holandês Bauke Mollema (Belkin) e o espanhol Alberto Contador (Saxo-Tinkoff), segundo e terceiro classificados, respectivamente.

Durante a conferência de imprensa, no segundo dia de descanso do “Tour”, Chris Froome, que no domingo sentiu-se elogiado por ser comparado a Lance Armstrong, preferiu no mesmo dia distinguir-se do americano, que foi despojado dos sete títulos na corrida francesa por recurso ao doping.Eu nunca disse que me sentia orgulhoso [pela comparação a Armstrong], eu disse que interpretei isso como um elogio, porque ele ganhou estas corridas. Da forma como é dito, comparar-me a Lance... O Lance fez batota, eu não, ponto final”, frisou Chris Froome.

Apesar do discurso firme, o rumo da conferência de imprensa prosseguiu pelo mesmo caminho.“Eu não posso ser mais sincero. Eu sei que trabalhei imenso para chegar ao patamar a que cheguei e eu sei que os meus resultados decorrem da minha determinação. Tem sido uma verdadeira batalha e tenho o apoio de uma grande equipa. As pessoas podem falar de outras coisas, eu não, eu não sei de nada sobre essas coisas. Simplesmente sei o que fiz e estou orgulhoso”, rematou.

Chris Froome lamentou os abandonos do bielorrusso Vasil Kiryienka e do norueguês Edvald Boasson Hagen, seus companheiros de equipa, e reiterou a vontade de preservar a camisola amarela, em detrimento de investir em triunfos nas etapas do Alpe d'Huez e Semnoz, para chegar a um “Grand Slam”, depois das vitórias em Ax-3 Domaines e Mont Ventoux.

“Vamos ver como anda a corrida. Não posso dizer que vou pensar nessas etapas, há muitos corredores que ainda querem ganhar e provar o seu valor.Nós queremos manter a camisola amarela e vamos correr para isso. Não temos como missão ganhar todas as chegadas em etapa de montanha,porque a camisola amarela está primeiro”, sublinhou.

Na mesma conferência de imprensa, o corredor, que em 2012 terminou o “Tour” em segundo lugar e a “Vuelta” em quarto, salientou ainda o “enorme orgulho” que tem em representar a Grã-Bretanha, apesar de ter nascido no Quénia e crescido na África do Sul.“Eu sinto-me cem por cento britânico.Eu estou extremamente orgulhoso de ser britânico e agradeço imenso as imensas mensagens de apoio que tenho recebido do público britânico”, concluiu Chris Froome, que persegue a segunda conquista consecutiva de um ciclista do Reino Unido no “Tour”, depois da vitória do seu colega de equipa Bradley Wiggins, em 2012.


BREVE
Vencedor da Volta à Turquia acusa doping

O vencedor da Volta à Turquia em bicicleta, o turco Mustafa Sayar, teve um teste positivo à EPO (eritropoietina), anunciou segunda-feira a União Ciclista Internacional (UCI). O turco, de 24 anos, já tinha sido suspenso preventivamente pela Federação local, depois de ter tido um teste positivo em Março, na Volta à Argélia. Mustafa Sayar é o segundo vencedor consecutivo da Volta à Turquia a ser apanhado num controlo antidoping, depois de em 2012 o búlgaro Ivailo Gabrovski ter sido tido um teste positivo durante a corrida.