Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

General Nunda destaca realização dos IV Jogos

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 05 de Julho, 2016

Chefe do Estado Maior no encerramento do intercâmbio desportivo militar

Fotografia: João Gomes

O Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), general do exército, Geraldo Sachipengo Nunda, destacou no Lubango, a realização da IV edição dos Jogos Desportivos Militares entre Angola e Namíbia, como uma oportunidade soberana de reencontro entre irmãos que ao longo dos tempos procuram estreitar cada vez mais os laços históricos forjados na luta pela independência dos dois países.

O general do exército Geraldo Sachipengo Nunda, falava no sábado na cerimónia de encerramento do intercâmbio desportivo militar, que movimentou 226 efectivos do exército, dos quais 148 angolanos e 78 namibianos, em ambos os sexos.

 O general do exército afirmou que a história do homem, provou que o desporto aproxima os povos, promove o convívio fraterno entre pessoas de diferentes nações, cultura e credo religioso, sistema político, entre outros.

“O desporto rompe as barreiras construídas pelo homem, através de preconceitos de raça, tribo, cultura ou sexo. O desporto promove  a alegria das multidões e contribui para a saúde física e mental dos que o praticam”, disse. 

 O Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), sublinhou que para os militares, o desporto constitui uma das várias formas de manter a prontidão dos efectivos, para o cumprimento das missões de defesa da Pátria.

Argumentou que por esse facto, estamos cientes de que a realização deste torneio que contou com participação de militares do exército de um país amigo, com o qual temos relações tradicionais de longa data, constitui uma boa experiência para no futuro elevar o âmbito e a regularidade deste torneio desportivo militar, de momento, sobretudo, ao nível da nossa região.

 “Este evento, constitui um importante fórum de troca de experiências, no domínio do desporto e da cultura”, apontou. 
 
O general do exército referiu à prática desportiva, no seio do colectivo militar, é também um veículo privilegiado para a formação de atletas de excepção, para a massificação e diversificação do desporto a nível nacional, consagrado na Constituição do nosso país e na Carta Internacional da Educação Física e Desportos, como um direito de todos os cidadãos para o aceso à educação física e desporto.

 Acrescentou que o desporto  constituiu desde sempre preocupação do Executivo angolano, no sentido de proporcionar ao cidadão as condições apropriadas para a sua prática, e promover a consolidação do espírito crescente de reconciliação e unidade nacional.

Atletismo, andebol, basquetebol, futebol onze, futsal, voleibol, snooker, orientação no terreno, superação de obstáculos e triatro militar, foram as modalidades que durante quatro dias evoluíram no torneio, ganha pela equipa militar angolana que somou 19 medalhas de ouro, nove de prata e dez de bronze. Os namibianos arrebataram três medalhas de ouro, onze de prata e duas de bronze.