Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ginástica ganha Centros de Treinos

26 de Abril, 2015

Os ginastas que disputam no próximo ano os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e o mundial estarão igualmente a estagiar nos centros, com vista a uma preparação adequada.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Depois de exibições encantadoras em diferentes campeonatos mundiais, resultantes dos estágios no Centro de Alto Rendimento de Sangalhos, em Portugal, os ginastas angolanos vão contar no decorrer do presente ano com instalações condignas no país para elevar os níveis competitivos. O anúncio da existência dos Centros de Treino Especial foi apresentado sexta-feira, em conferência de imprensa, na Galeria dos Desportos, na cidadela desportiva, pela Federação Angolana de Ginástica (FAG). Várias individualidades desportivas testemunharam o acto.

O representante do Ministério da Juventude e Desportos, António Gomes, foi o indicado para proceder à entrega das chaves dos respectivos centros. O mesmo considerou positiva a iniciativa da federação. "É um grande projecto que deve merecer o reconhecimento de todos nós. Este programa enquadra-se, igualmente, no plano nacional do Governo para o desenvolvimento do desporto".  Os três centros de alto rendimento estão instalados nas províncias do Huambo, Benguela e Huíla. O projecto foi elaborado com os olhos postos na elevação do nível competitivo dos atletas, assim como no desenvolvimento da ginástica como modalidade.

Na província da Huíla, o Centro de Alto Rendimento irá acolher ginastas da categoria de iniciados. A província do Huambo acolherá a classe dos intermédios ao passo que Benguela fica com os atletas da classe dos seniores. Os respectivos centros, com capacidade de acomodar 20 atletas, estão equipados com ginásios, dormitórios, salas de refeições e todas as condições. O abastecimento logístico dos centros será garantido pelas Forças Armadas Angolanas. Os governos provinciais asseguram o transporte, assistência técnica e serviços hospitalares.

Os primeiros contemplados foram seleccionados com critérios como o estado de saúde dos atletas, o nível competitivo, o desempenho nas últimas provas continentais e nacionais, bem como o nível académico. Os ginastas que disputam no próximo ano os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e o mundial estarão igualmente a estagiar nos centros, com vista a uma preparação adequada.

PRESIDENTE DA FAG
Auxílio promete mudanças


O presidente da Federação Angolana de Ginástica, Auxílio Jacob, disse sexta-feira, no acto da conferência de imprensa, que a criação dos respectivos centros de alto rendimento no país vai permitir à FAG reduzir os custos com estágios no exterior aquando das participações nas competições internacionais.

"Não podemos continuar a depender sempre dos outros países para potenciar os nossos atletas na altura das grandes competições. Estamos a criar estes centros para poupar dinheiro. Não descarto a possibilidade de sairmos em estágios, mas também começarmos a criar no país estas mesmas condições." O dirigente referiu ser esta uma estratégia que visa criar condições para que haja uma formação de qualidade, permitindo alcançar altos resultados nas provas de alta competição.

"Nós sentimos ao longo dos tempos essa necessidade, após termos feito um diagnóstico. Pensámos criar estes centros de alto rendimento que foram prontamente aprovados pelos membros em assembleia-geral ordinária, que decorreu na província do Huambo, em Fevereiro.  Estes centros serão fundamentais não só para a formação de atletas de alto nível, como também das nossas crianças que serão formadas lá."
RN

NA GALERIA DOS DESPORTOS
Empossados directores dos centros das três provincias escolhidas

A direcção da Federação Angolana de Ginástica realizou o acto de posse dos directores que estarão a trabalhar nos respectivos centros. O acto decorreu após a apresentação em conferência dos centros de alto rendimento, na Galeria dos Desportos. Na lista dos empossados constam a coordenadora do projecto, Elsa Pitra, João Gabriel, presidente da Associação Provincial de Benguela, o director técnico Agostinho Sungo e José Albano, da associação do Huambo. 
     
Agostinho Sungo, director técnico federativo, que também foi empossado como director do centro da Huíla, disse ao Jornal dos Desportos que esta é uma missão importante que será dirigida com rigor e responsabilidade. "Acredito que teremos uma ginástica mais preparada daqui para a frente. Estamos aqui para trabalhar,  foi-nos confiado estes cargo, e vamos preparar os atletas da melhor maneira possível, mostrando os frutos." Nas províncias da Huíla e do Huambo, o Instituto da Promoção da Mulher e o Instituto Nacional da Criança vão juntar-se para fazer vigorar os direitos da criança.

A Selecção Nacional de ginástica competiu em diferentes provas internacionais, com realce para os campeonatos mundiais da Turquia, nas disciplinas de rítmica e conjunto individual, no Mundial da Bélgica, em artística, e nos Estados Unidos. No continente, Angola conquistou 23 medalhas, das quais seis de ouro, 12 de prata e cinco de bronze, no Campeonato Africano da Namíbia, em Abril e Maio do ano passado.
RN

COORDENADORA
Elsa Pitra explica
etapas do projecto


A coordenadora do projecto dos Centros de Alto Rendimento de ginástica, Elsa Pitra, referiu ontem, em declarações ao Jornal dos Desportos, ter sido difícil reunir os requisitos para a concretização do evento, que abranje as províncias da Huíla, Benguela e Huambo. "É um projecto que requer de nós muita atenção, porque estamos a lidar com crianças. Nós tivemos que acautelar todos os pormenores à volta deste programa desde a autorização dos pais, às licenças do Instituto Nacional da Criança (INAC), que nos deu as normas e os regulamentos de protecção da criança,  o Instituto da Promoção da Família e os governos das respectivas províncias, que nos apoiaram com outros encargos", disse.

Elsa Pitra referiu que ao longo da elaboração do projecto manteve contacto com os directores das delegações provinciais da Educação e da saúde de Benguela dos quais recebeu garantias de apoios que já foram cumpridas. "Em Benguela, contámos com a ajuda do Ministério da Educação, no que concerne à integração dos atletas no sistema de ensino, que terá grande peso na permanência ou não dos seleccionados nos centros. Estes jovens irão beneficiar, também, de uma biblioteca que será montada em cada centro.

Tivemos ajuda do Ministério da Saúde no sentido de velar pela criança com assistência médica e medicamentosa, assim como a Polícia daquela região, na protecção e segurança do centro", explicou. A coordenadora sublinhou a necessidade de se concluir o material de treinamento na província da Huíla, como as pistas de tumbling. "Temos os centros equipados de materiais de treinamento, faltando apenas o da Huíla que necessita de pista de tumbling. Acredito que em breve este material chegará ao país e será montado", concluiu.    

HUAMBO
Criação dos Centros
foi decisão dos sócios


A criação dos centros de Alto Rendimento resulta da decisão dos membros e associados da federação, na última assembleia-geral ordinária, que decorreu na província do Huambo, em Fevereiro. A mesma conta com apoios do Ministério da Juventude e Desportos, Educação, Forças Armadas, empresa de telefone móvel (Unitel) e os três governos provinciais envolvidos.

No encontro, antecedido de projecção de vídeo sobre as condições nas respectivas instalações, treinamento e outras actividades, procedeu-se também à entrega das chaves dos alojamentos pelo responsável do Ministério da Juventude e Desportos, António Gomes. O vice-presidente do Comité Olímpico Angolano (COA), Mário Rosa, depois de solicitar mais apoios por parte do Ministério dos Desportos, prometeu envidar esforços da sua instituição, para o êxito da formação dos futuros campeões de ginástica. O Ministério da Educação foi representado no acto pelo funcionário sénior Pedro Agostinho.

A ginasta angolana Ana Panzo, de 17 anos de idade, conquistou a medalha de ouro na Taça do Mundo, disputada de 29 de Junho a 15 de Julho, em Lisboa. O circuito português contou com a participação de 17 países na especialidade de ginástica rítmica individual e por aparelhos, em 2013.