Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Godinho eleito para o terceiro mandato

Silva Cacuti - 26 de Fevereiro, 2017

O presidente reeleito reiterou o compromisso de honrar as linhas do seu programa de acção

Fotografia: Jornal dos Desportos

A consolidação das conquistas do andebol angolano e a aproximação às zonas de medalhas nos Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos de 2020 constam das prioridades de Pedro Godinho, eleito ontem para o terceiro mandato à frente da Federação Angolana de Andebol.

A liderar lista única, o presidente não teve a totalidade dos 32 votos esperados. Uma abstenção e quatro votos não exercidos fizeram com que Pedro Godinho fosse eleito com apenas 27 votos.

Após conhecer o resultado das urnas, o presidente reeleito da Federação Angolana de Andebol agradeceu e reiterou o compromisso de honrar as linhas do seu programa de acção. Um dos traços do programa é aproximar a selecção sénior feminina às zonas de medalhas nas competições de carácter mundial. Para tal, Godinho perspectiva estabelecer parcerias que permitam a realização de torneios no país para permitir maior rodagem competitiva.

\"As nossas atletas não são profissionais e temos tido dificuldades para as levar aos estágios fora do país. Se conseguirmos garantir a realização de torneios aqui no país, trazendo outras equipas, podemos melhorar a competitividade da nossa equipa e chegar perto da zona de medalhas quer em Campeonatos Mundiais como nos Jogos Olímpicos\", disse.

Pedro Godinho disse estar focado naquilo que não correu bem ao longo do mandato anterior e olha para o aumento da competitividade como uma área a atacar. A solução, defende, é realizar competições regionais para aumentar o número de jogos das equipas do interior do país.

Noutro item, anunciou, o novo mandato vai melhorar o acompanhamento às Associações provinciais com a criação de um grupo de apoio ao vice-presidente da área. Acções de formação para técnicos, árbitros e outros agentes também constam da agenda.

Pedro Godinho marcou para 3 de Março a sua tomada de posse.

Dentre os membros do elenco eleito realce para a inclusão da ex-atleta e jurista Marcelina Kiala, que entra como vice-presidente da Mesa da Assembleia-Geral, órgão presidido por Victor Araújo.

Na direcção, o elenco inscreve quatro vice-presidentes, mormente, Horácio Feijó, Inocêncio Júnior, Horácio Rasgado e José \"Zeca\" Venâncio.
José Domingos Constantino, Arlene de Sousa e Joaquim Neto presidem aos Conselhos de Disciplina, Jurisdicional e Fiscais.


ESTRATÉGIA
Marcelina Kiala
galvaniza Faand


A presença de Marcelina Kiala na vice-presidência da Mesa da Assembleia Geral Federação Angolana de Andebol (Faand) vai impulsionar a classe feminina. A antiga capitã do \"sete\" nacional serve de \"factor de motivação das novas gerações\", conforme sustentou Pedro Godinho.

Marcelina Kiala é um nome que  atrai as crianças. O seu percurso histórico confere qualidade para ser imitada. No mundial realizado em França, foi a sétima melhor jogadora. O rico percurso coloca-lhe mais perto das escolas de formação. A interacção com as \"massas\" vai galvanizar diferentes sectores. A jurista pode elevar a qualidade de gestão dos diferentes filiados.

Na condição de vice-presidente, a sua responsabilidade cinge-se na organização e no funcionamento da Faand. Na qualidade de antiga atleta e capitã do Petro de Luanda e da selecção nacional, Marcelina é uma voz que pode emprestar conhecimentos. Neste capítulo, Godinho fez a escolha certa para elevar o prestígio do andebol feminino.

A escolha de um vice-presidente para as associações provinciais faz com que a Faand se adapte aos novos tempos. Godinho apercebeu-se das insuficiências no relacionamento com as instituções. Com vista a elevar a gestão das instituições de base, um acompanhamento milimétrico é a saída mais acertada. Inocêncio Tomás Júnior tem trabalho de sobra.

Mais acertada ainda é a redução de gastos. A realização de eventos regionais é uma medida justa. As equipas do interior do país dispõe de potenciais atletas para as selecções nacionais, mas a redução de jogos impede o crescimento. Para corrigir o modelo actual de formação, a realização de mais eventos locais vai catapultar as crianças.

Eis a composiçãoda equipa: A Mesa da Assembleia-geral é presidida por Victor de Sousa Araújo. Marcelina Kiala é vice-presidente e Filomena Dias Lopes, secretária.

Pedro Celestino de Sousa Godinho preside à direcção, Horácio José Van-Dúmem de Macedo Feijó (vice-presidente), Inocêncio Tomás Júnior (vice-presidente), Horácio de Jesus Rasgado (vice-presidente), José Tavares Baptista Venâncio (vice-presidente ), António Joaquim dos Santos, Geraldo Ambrósio Quinio Quiala, António João Custódio, Daisy Viera da Costa Bolanha, Fernando Manuel da Silva Filipe Amado, José Joaquim do Amaral Júnior, João de Barros de Espanhol Neto, Francisco Gonçalves Ferreira do Nascimento, Ana Paula Henriques da Silva, Zeferino José e José Marquês Moura dos Santos (vogais). 

José Domingos Constantino preside ao Conselho de Disciplina, Luzia Prazeres Soares Bezerra (vice-presidente) e Esperança Manuela Rosário Domingos Furtado (vogal).

Arlene Manuela de Sousa preside ao Conselho Jurisdicional, Fábia Neves Faria Raposo (vice-presidente) e Octávio Manuel Santos (vogal).
Joaquim Dias dos Santos Neto preside ao Conselho Fiscal, Agnett Rodrigues da Cunha (vice-presidente) e Alberto António Manuel Alfredo (vogal). FRANCISCO CARVALHO