Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Godinho reala ambio de vencer fora de frica

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 22 de Março, 2013

Apoio da Total permite uma melhor preparao das seleces

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, disse quarta-feira em Luanda que o seu elenco está a criar condições para que a selecção nacional sénior feminina tenha melhor prestação nos próximos Jogos Olímpicos e campeonatos do mundo.

O dirigente falava à imprensa no final da assinatura de um acordo válido por quatro anos com a empresa petrolífera Total, tendo referido que a ideia é manter os títulos africanos e melhorar gradualmente noutras competições internacionais.

“Queremos continuar a vencer em África em todas as categorias. Mas a nível dos campeonatos do mundo e Jogos Olímpicos queremos mais, porque acreditamos que é possível se os apoios existirem, como este dado pela Total”, disse. Godinho informou que a verba dada pelo Estado é insuficiente para custear estágios e outras questões das campeãs de África. Agora, com o apoio da multinacional petrolífera, a preparação é mais cuidada a todos os níveis.

“Vamos apostar na formação de treinadores com esta verba, melhorar as condições de preparação, internas e externas”, concluiu. Para o corrente ano, a selecção sénior feminina vai disputar o Torneio das Quatro Nações na Coreia do Sul, em Maio, e em Dezembro, o campeonato do Mundo, na Sérvia.


PARCERIA

Director da Total agradece confiança


O director-geral da Total, Jean-Michel Lavergne, disse que está satisfeito com a confiança dada pela direcção da Federação Angolana de Andebol (FAAND) em ser um dos patrocinadores nos próximos quatro anos. Em declarações à imprensa, no final da assinatura do contrato, o responsável da petrolífera disse ter ficado satisfeito com a primeira experiência com a selecção feminina e decidiu formular o vínculo. “Em 2012 vivemos uma experiência positiva na preparação dos Jogos Olímpicos e decidimos estender o nosso contrato, primeiro para elevar o nosso nome além-fronteiras e também salvaguardar o futuro da modalidade, apoiando selecções de cadetes e juniores”, frisou. A FAAND e a petrolífera Total assinaram quarta-feira em Luanda um contrato para apoiar as selecções nacionais femininas de cadetes, juniores e seniores nos próximos quatro anos.


HUÍLA
Competições provinciais começam em Abril


A associação provincial de andebol da Huíla programou para a primeira quinzena de Abril a realização de um torneio de abertura para o campeonato provincial unificado nos escalões de iniciados, juvenis e juniores em ambos os sexos. Zeca Funbelo, presidente de direcção da Associação Provincial de Andebol da Huíla, confirmou ao Jornal dos Desportos que fazem parte do torneio de abertura sete equipas dos escalões de juvenis femininos, seis de juvenis masculinos, oito formações em iniciados masculinos e igual número em iniciados femininos. “O torneio de abertura para o campeonato provincial está marcado para a primeira quinzena do próximo mês de Abril, com a realização de um torneio unificado onde estão as equipas de iniciados, juvenis e juniores em ambos os sexos”, disse.

Zeca Funbelo mostrou-se regozijado pelo facto de existir a nível local clubes que albergam atletas vindos da massificação, com destaque para o Sporting Clube do Lubango, Interclube da Huíla e Escolinha da Agricultura. O dirigente afirmou que possui contactos avançados com as agremiações do Ferroviário da Huíla e Benfica do Lubango. Zeca Funbelo acrescentou que além desses clubes, há escolas do município sede do Lubango que também manifestam interesse em ter a modalidade de andebol dentro das suas instituições escolares. O responsável máximo do andebol na Huíla afirmou que o actual quadro evolutivo da modalidade na província é satisfatório, pois passou do processo de massificação para o da competição.

“Vimos que o andebol a nível local está a evoluir. Tivemos uma participação com três equipas no Campeonato Nacional de juvenis no Namibe, sendo duas masculinas e uma feminina. Também participámos com uma formação masculina no campeonato de juniores. Por isso, posso assegurar que estamos a ir bem”, realçou. Zeca Funbelo adiantou que a única dificuldade prende-se com os clubes que reclamam a falta de meios financeiros para suportar os gastos dos atletas quando participam em competições nacionais. “O dinheiro faz muita falta para fazer deslocar uma equipa para uma prova nacional. Por este motivo, a equipa júnior feminina não foi a Cabinda competir”, revelou Zeca Funbelo.

No que concerne ao material desportivo (bolas e equipamentos), o presidente da associação de afirmou que não é razão de preocupação. “Recebemos algumas bolas da Federação de Andebol. Agora, esperamos que não seja somente a federação a oferecer material aos clubes. Penso que as próprias agremiações devem envidar esforços para adquirir também bolas e equipamentos”, apelou. O responsável anunciou que o órgão que dirige e os clubes vão trabalhar no sentido de terem, daqui a quatro anos, uma equipa sénior a representar a província nas competições nacionais. A associação  da Huíla controla 1.215 atletas em juvenis e iniciados e duas equipas em juniores masculinos e femininos. Gaudêncio Hamelay, no Lubango


REGIONAIS 

Reunião da comissão
condiciona torneios


O presidente da Associação de Andebol da Huíla, Zeca Funbelo, pontualizou ontem no Lubango que o arranque do primeiro torneio regional centro e sul está condicionado à realização de uma reunião da comissão criada no ano transacto para o efeito. O dirigente garantiu que o projecto regional de massificação do andebol nas províncias de Benguela, Huambo, Huíla, Kuando-Kubango, Namibe, Bié e Cunene (com a realização de torneios) vai permitir dinamizar e descobrir novos talentos nestas regiões. Funbelo relembrou que o projecto regional está à espera do arranque e que para o efeito, no ano passado, foi constituída uma comissão para dinamizar essas actividades, encabeçada pelo presidente da Associação de Benguela, coadjuvado pelo presidente da associação de andebol do Kuando-Kubango.

“Neste momento estamos à espera que sejam convocados outros componentes dessa comissão para um encontro e decidir quais os moldes de disputa do primeiro torneio a nível regional sul e centro. Depois da abertura vamos poder decidir isso. Estamos à espera da comissão”, disse Zeca Funbelo. Gaudêncio Hamelay, no Lubango