Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Gomes apela ao prestígio da corrida São Silvestre

29 de Dezembro, 2016

O Director Nacional dos Desportos, António Gomes, apelou a uma participação massiva dos cidadãos para a manutenção do prestígio da 61ª edição da corrida de fim-de-ano a São Silvestre de Luanda, que se disputa no próximo dia 31. Ao falar à imprensa, após encontro da comissão organizativa da prova, que decorreu na Galeria dos Desportos, no Complexo da Cidadela, o responsável prevê atingir os dois mil atletas estabelecidos e, para a dignidade do evento, incentivou os atletas a aderirem às inscrições.

“O que se passou aqui foi passar em revista todos os aspectos organizativos da prova, que decorrem a bom ritmo. As equipas estão a trabalhar de forma abnegada para que o evento atinja os números preconizados e seja um êxito. Por isso, lanço um grande apelo a uma participação em massa dos cidadãos na dignificação da São Silvestre”, disse.       

Acrescentou que só com um engajamento dos participantes, aliado aos demais intervenientes na organização, se poderá obter os resultados preconizados, neste período que requer uma forte determinação na criação das condições necessárias. Quanto ao encontro, orientado pela Secretária de Estado dos Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, perante a presença do vice-governador para Área técnica, Joaquim Malichi, os intervenientes passaram em revista as acções gerais organizativas, que consideram em curso normal e sem preocupações de maior. 

Além da assistência médica, que vai contar com mais de meia centena de profissionais da saúde, segundo o médico Domingos Filipe, o asseguramento também foi garantido pelo superintendente Eduardo Diogo, da Polícia Nacional: a prontidão de 1.800 efectivos de distintas especialidades para a manutenção da ordem e da tranquilidade da corrida. O percurso vai ser novamente inspeccionado nos dias 30 (às 20h00) e no dia 31 (às 11h00).   
  
As inscrições prosseguem até o dia 28, data prevista para início do credenciamento dos participantes. Na presença do novo presidente da Federação de Atletismo FAA), Bernardo João, substituto de Carlos Rosa, à margem da reunião, foi assinado um protocolo de parceria com a empresa de fornecimento de Água Pura para um período de três anos. A Refriango vai disponibilizar 20 mil garrafas a São Silvestre de 2016.     

Os vencedores (masculino e feminino) vão receber como prémio 200 mil kwanzas cada um, contra os um milhão e 500 mil do ano transacto. O evento é destinado a apenas atletas nacionais numa extensão de 10 quilómetros. O tiro de largada acontece no Largo da Mutamba.

Os atletas seguem para Largo da Maianga, Avenida Revolução de Outubro, Túnel do Prenda, Avenida Ho-Chi-Min, Largo das Heroínas, Largo da Independência, Avenida Alameda Manuel van Dunen, Rua Comandante Valódia, Largo do Kinaxixi, Rua da Missão, Rua Cirilo da Conceição, Avenida 4 de Fevereiro, Largo Baleizão, Rua Manuel Fernando Caldeira e término no Estádio dos Coqueiros.

No ano de 2015, os  quenianos Alex Olotiptip (masculino) e Jemina Sunsong (feminino) foram os vencedores. Francisco Caluvi e Ernestina Paulino foram os melhores angolanos e Ernesto Basto, de 73 anos, de Benguela, foi o mais velho da corrida.

ASSOCIAÇÃO PROVINCIAL
Huíla homenageia ex-atletas

No último dia do ano de 2016, a homenagem aos ex-praticantes vai marcar o calendário de actividades da Associação Provincial de Atletismo da Huíla. Pela primeira vez na história do atletismo huilano, as antigas glórias vão beneficiar de reconhecimento público na cidade de Lubango.

Ana Isabel entra com pé directo no primeiro ano do seu mandato na Associação. A equipa da antiga fundista vai atribuir a 30 ex-praticantes medalhas e diplomas como reconhecimento do contributo prestado ao atletismo ao longo da existência de Angola como território.

Para além dos ex-praticantes em vida, a homenagem estende-se a todos aqueles que já partiram deste mundo. Do lote de galardoados constam, entre outros, Anastácio Francisco, Paulo Quintiqui, João Cristo, João Carvalho, Eugénio Katombi, Kambilu Vingunga, Daniel Nekongo, João Leonardo Buli, Arnaldo Katchiunha, Lázaro João, Rosa Tomás, Rosa Saul, Filipa Domingas, Leontina, Antónia Margareth, João Ntyamba, Augusto Diogo “Seco”, Fernando Lima, Manuel Mutemba e Gabriel Natal Pinto.

Ana Isabel confirmou que os dirigentes ligados aos órgãos de comunicação social da província da Huíla e outras entidades que apoiam o atletismo também vão merecer a distinção. A cerimónia de homenagem está aberto a toda a população angolana. O interessado deve dirigir-se à sede da instituição para beneficiar do convite.

Das pesquisas feitas, Ana Isabel afirmou que Anastácio Francisco é o pioneiro do atletismo huilano. O antigo fundista começou a correr em 1956 em representação dos Caminhos de Ferro de Moçâmedes nas competições distritais e provinciais. Na época, Angola era uma província ultramarina de Portugal.

Numa avaliação breve, Ana Isabel assegurou que "o crescimento significativo no processo de massificação em 2016 contrasta com o fracasso nos escalões seniores". Apenas o Benfica Petróleo de Lubango e Clube Desportivo da Huíla vão competir no escalão maior em 2017. Para inverter a tendência, promete trabalhar com afinco.

Ana Isabel revelou que os atletas inseridos no projecto de massificação de atletismo Okuhateka, dirigido a alunos das escolas do ensino público e privado da Huíla, vão ser integrados no Benfica de Lubango, Clube Desportivo da Huíla, Ferroviário da Huíla e Núcleo da Direcção da Saúde (que projecta uma equipa).

Quanto ao sector feminino, Ana Isabel sublinhou que "é difícil sensibilizar as mulheres para aderir à prática desportiva, mas os agentes têm conseguido". As meninas constituem 45 por cento de atletas em formação em diferentes escolas.

Desde a tomada de posse, a direcção de Ana Isabel realizou provas de corta-mato, competições alusivas a efemérides, tais como Grande Prémio 5 de Outubro (Dia da RNA), GP 18 de Outubro (Dia da TPA), GP 17 de Setembro (Dia do Herói Nacional) e GP 10 de Dezembro (Dia do MPLA), entre outras actividades.
GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO

corrida anastácio francisco
Organização espera adesão
de federados e populares


A corrida pedestre de fim-de-ano denominada Anastácio Francisco, na distância de 10 quilómetros, sai às ruas da cidade do Lubango, sábado próximo, a partir das 8h00, com a participação de mais de 100 corredores entre federados e populares provenientes dos 14 municípios da província da Huíla.

A organização da corrida da São Silvestre do Lubango prepara com afinco as condições para o êxito do evento reatado 25 anos depois. Os postos de inscrições localizados nas direcções provinciais da Juventude e Desportos, da Educação, da Escola da Missão Católica do Lubango e da Associação local estão abertas desde a semana passada.

A prova de 10 quilómetros tem o tiro de largada e a chegada agendados defronte à sede do Comité Provincial da Huíla do MPLA.
A três dias da competição, a organização ainda procura patrocinadores junto de instituições públicas e privadas, segundo Ana Isabel. Estão garantidos o asseguramento de bens e de pessoas, as questões técnicas e de logísticas, bem como as equipas médicas. A responsável escusou revelar os prémios para os vencedores, mas garantiu ser "bons prémios".

A Associação da Huíla não vai enviar delegação nenhuma a São Silvestre de Luanda. Os atletas residentes presentes no evento representam clubes não huilanos, segundo Ana Isabel. "Vamos realizar uma prova interna, a São Silvestre de Lubango", garantiu. Cada município convidado faz-se representar com cinco atletas masculinos e igual número em feminino.

A organização prevê a participação de 100 corredores, "um número satisfatório". O evento é destinado a pessoas maiores de 18 anos de idade. A São Silvestre de Lubango homenageia o impulsionador do atletismo huilano no período colonial, Anastácio Francisco.
GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO

DIA 30
Circulação automóvel vai estar encerrada

No dia 31 de Dezembro, o Governo da Província de Luanda vai encerrar entre às 17h00 e às 23h00 a circulação automóvel nas ruas por onde passam os atletas para a corrida pedestre São Silvestre.

Assim, estão proibidos de estacionar no Largo da Mutamba, Rua Amílcar Cabral, Avenida Revolução de Outubro, Avenida Ho Chi Min, Alameda Manuel Van Dunen, Avenida Comandante Valódia, Rua da Missão, Rua Cirilo da Conceição, Avenida 4 de Fevereiro, Largo do Baleizão, Rua Francisco das Necessidades Castelo Branco e ruas adjacentes ao Estádio Nacional dos Coqueiros.

 Para o bem do público e dos automobilistas, vai estar proibido o parqueamento de viaturas, nessas áreas. Os moradores e trabalhadores das ruas citadas devem providenciar a retirada voluntária dos seus meios sob pena de remoção compulsiva pela Polícia Nacional. Outrossim, a partir das 6h00 do dia 31 de Dezembro, devem evitar o parqueamento nesse percurso.

RECONHECIMENTO
Tyova destaca empresários

O director provincial da Juventude e Desportos da Huíla, Joaquim Barbante Tyova, destacou no Lubango a vontade política dos dirigentes, empresários e outros, no apoio à actividade desportiva na província, durante o ano de 2016. Sustentou que a entrega de individualidades da província da Huíla à actividade desportiva, anima e encoraja os fazedores do desporto local.

Joaquim Barbante Tyova reconheceu as dificuldades em equipamentos e material desportivo em relação as modalidades praticadas na província. Esclareceu que as mesmas (dificuldades) não só resultam da falta de capacidade financeira dos clubes e das Associações, mas também do próprio mercado. A Huila "já não tem divisas e o mercado não oferece material desportivo".

Para garantir a época desportiva 2017 tranquila, o dirigente manifestou a preocupação ao governo provincial para encontrar rapidamente uma solução. "Para não ficar muito comprometida ou vamos fazê-la em condições não muito agradáveis”, disse.
Tyova realçou que o futebol enfrenta dificuldades para encontrar espaços desportivos.

O crescimento populacional na cidade de Lubango, por exemplo, está a romper os terrenos para construção habitacional. Na qualidade de responsável do sector que zela pela política desportiva, a desproporção de bens públicos criados resvala noutros fenómenos sociais que acarretam do Estado grandes despesas.

“Agora, há que se encontrar mecanismos para termos novos espaços desportivos. Por essa razão, apelo aos clubes para contactar a Administração municipal do Lubango, no sentido de encontrar fora da cidade ou no casco urbano novos espaços desportivos”, aconselhou. O responsável conta com quatro ou cinco espaços desportivos e a província tem clubes com três e quatro escalões de formação, o que não é suficiente.

"Às vezes, acontecem campeonatos na mesma época, o que não é suficiente para sustentar os treinos”, confessou. Acrescentou que 2016 é um ano em que não houve investimentos na gestão de infra-estruturas, mas "continuamos a manter as infra-estruturas intactas”. A Direcção provincial dos Desportos trabalhou com clubes para recuperar algumas infra-estruturas desportivas, numa fase difícil da situação económica, no ano em que houve maior entrega de pessoas.

“É um ano em que aconteceram as eleições nos clubes e nas Associações, assembleias de balanço e de renovação de mandatos. Perceber que a classe empresarial não apoia só o desporto na província, conforme era apregoado, mas vive o desporto", disse.
A maior parte dos empresários na província está integrada nas direcções dos clubes. Esta manifestação de vontade, destacou Tyova, “é positiva e as informações de que os empresários não apoiam o desporto são mentiras".
GAUDÊNCIO HAMELAY - LUBANGO