Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Governante pede subsídio para o desenvolvimento

Silva Cacuti - 20 de Abril, 2013

Albino da Conceição quer subsídios para a entrega da documentação ao Conselho de Ministros

Fotografia: Jornal dos Desportos

O secretário de Estado para o Desporto, Albino da Conceição, apelou ontem aos agentes desportivos que se engajem na apresentação de subsídios para enriquecer a proposta da Estratégia de Desenvolvimento do Desporto em Angola, a fim de que seja entregue ao Conselho de Ministros ainda no final do primeiro semestre do corrente ano. O dirigente falava ontem no final do encontro entre presidentes e secretários-gerais das federações nacionais.

O documento, que mereceu as atenções dos participantes no conclave, assenta em dez eixos estruturantes, designadamente: Planeamento Desportivo; Gestão de Infra-estruturas; Formação Desportiva; Saúde Desportiva; Excelência Desportiva; Financiamento; Desenvolvimento de Actividades; Redes Desportivas; Concertação de Vontades; Supervisão e Monitorização.

São identificadas 14 medidas que visam assegurar as condições necessárias para o desenvolvimento do desporto no país, em que se destaca a “criação de uma autoridade antidopagem, segundo os padrões internacionais; o estímulo ao autofinanciamento e à arrecadação de receitas próprias; a criação de um complexo de Formação Desportiva, para assegurar liderança técnica das actividades desportivas; enquadramento legal para o voluntariado desportivo.

O documento prevê que, como resultado da sua aplicação, sejam alcançadas até ao ano de 2024 a garantia de que 25 por cento da população angolana pratique desporto e a conquista de oito medalhas olímpicas.

Como modalidades de referência são definidas o futebol, basquetebol, andebol, atletismo, natação, artes marciais, desportos de combate, ténis de mesa e ginástica, com base nas performances atingidas, potencial para obter resultados, popularidade e a tradição das mesmas; além do compromisso das federações e as exigências financeiras.

Para Mário Rosa, secretário-geral do Comité Olímpico Angolano, a estratégia está cada vez mais realista.

“Comparado com os passos que tinham sido dados até Maio do ano passado, aquilo que podemos observar está mais realista, mais próximo da actual conjuntura em que se pratica o desporto no nosso país”, disse.

O responsável do COA reafirma: “Continuo a dizer que, quando chegar às mãos do Chefe do Executivo, tem de reflectir, tem de emanar o pensamento dos agentes desportivos todos e, para que isso aconteça, tem de ser mais debatida, mais divulgada, tem de iniciar na base, com Encontros Provinciais dos Desportos e outros encontros para ser bem percebida”, disse.


MINJUD

Conselho Consultivo enaltece papel
do Presidente da República de Angola


O VII Conselho Consultivo do Ministério da Juventude e Desportos (Minjud) encerrado ontem nas instalações do Instituto Nacional de Administração (INAD)  aprovou uma moção de apoio ao Presidente da República, José Eduardo dos Santos, pela sábia condução dos destinos do país e pela permanente dedicação e empenho pessoal à causa da juventude angolana e do desporto nacional.

A Moção de apoio foi lida no acto de encerramento do conclave que produziu recomendações e conclusões. Os participantes concluíram que o Minjud, enquanto órgão reitor das políticas de juventude e do Desporto, tem assumido uma importante função orientadora e dinamizadora, apontando um conjunto de medidas que favorecem e relevam a importância do associativismo.

Depois de análises exaustivas às políticas de desenvolvimento do desporto vigente, os participantes recomendaram, entre outras, a “reactivação do Programa Despontar, redefinindo os critérios de implementação dos projectos e acções”.

O VII Conselho Consultivo recomendou também o incremento do diálogo inter-governamental, visando gerar sinergias que permitam o intercâmbio de ideias e experiências no âmbito da implementação dos programas de educação sexual e reprodutiva; de formação profissional e mobilização social e educação para a cidadania.

O acto de encerramento foi presidido pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba que convidou os presentes a empenharem-se na materialização das recomendações produzidas pelo conclave.