Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

GP da Bélgica amplia segurança

17 de Agosto, 2016

Nos últimos meses a França e a Bélgica sofreram atentados e a vigilância é constante

O GP da Bélgica terá protecção extra para evitar qualquer contratempo. Os organizadores ampliaram a segurança depois dos alertas de ataques terroristas na Europa. A corrida da F1 acontece no fim deste mês.

A F1 vai voltar mais blindada do que nunca após a pausa das férias. Isso porque a etapa que abre a segunda parte da temporada 2016 será realizada, no fim deste mês, na veloz Spa-Francorchamps. E os organizadores da prova já preparam um esquema especial de segurança, principalmente devido aos alertas de ataques terroristas na Europa. Nos últimos meses, a França e a Bélgica sofreram atentados, e a vigilância é constante. A Alemanha já havia tomado medidas semelhantes neste ano.

 Actualmente, o nível de atenção está em três, e o promotor do GP belga, Andre Mas, revelou que o trabalho para evitar qualquer tipo de contratempo segue forte. A corrida da F1, que praticamente esgotou suas entradas, terá a protecção também do exército do país.
 "Devido ao recente ataque em Nice, tivemos de separar alguns sectores, como as áreas de acesso para veículos. Sem nos distanciarmos muito, vamos deixar ainda os locais para merchandising próximo à 'La Source'", disse o organizador ao diário esportivo 'La Dernière Heure'.

 "Nós também vamos ampliar os controles para inspeccionar mochilas e sacolas térmicas. E vamos ter a ajuda do exército para garantir a máxima segurança. Para nós, a segurança de todos é a prioridade. Assim, o público pode vir sem medo", garantiu.

Também de acordo com a organização, o número de espectadores aumentou em 25%, e muito desse crescimento na procura pelos ingressos tem a ver com a popularidade do jovem Max Verstappen, que neste ano se tornou o mais jovem piloto a vencer na F1.

 "Esperamos de 15 a 20 mil holandeses. Nós aumentamos as vendas em 25%, então tem sido um bom ano. Nós já vendemos todos os ingressos de arquibancada e restam poucos lugares ainda, mas somente nas tribunas da La Source", concluiu.

 No dia 17 de Julho, em Nice, na França, um terrorista usou um caminhão para matar 84 pessoas.  Antes disso, em 22 de Março, um atentado suicida no Aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, causou a morte de 35 pessoas — incluindo os três suicidas — e deixou 300 feridos.

 Ainda no início deste mês, seis homens de uma célula terrorista ligada ao Estado Islâmico foram presos pela polícia da Indonésia. Os conspiradores planejavam um ataque à etapa da F1, em Singapura, a partir de uma pequena ilha, a pouco mais de 15 km de distância do circuito de Marina Bay.


FÓRMULA 1
Bottas elogia
Felipe Mass
a

 Mesmo com campanha irregular e apenas em nono na classificação geral da Fórmula 1, Felipe Massa foi elogiado pelo seu companheiro de equipa, Valtteri Bottas. Para o finlandês, Massa é actualmente subestimado e não deve nem pensar em parar.
“Ele ainda é rápido. As suas habilidades e como ele realmente pode correr são subestimados”, pontuou Bottas em entrevista ao Autosport. Na sétima posição com 20 pontos à frente de Massa, o finlandês teve 15 pontos a mais que o brasileiro na última temporada e 52 em 2014.

Bottas também afirmou que não vê motivos para Massa pensar numa retirada. “Depende se ele quer continuar ou não, mas pessoalmente não vejo razões para ele não continuar. Ele continua dirigindo muito bem. Talvez só tenha tido alguns acidentes nos últimos anos que não teve antes”, concluiu o piloto.

Quem também se mostrou satisfeito com o desempenho de Felipe foi o director técnico da Williams, Pat Symonds. “Felipe continua tendo resultados fortes e ele me agrada durante todo 2014, 2015 e ainda agora.

“Ele é muito forte e luta muito, ainda tem alguns anos para ele. As pessoas esquecem que ele ficou perto de ser campeão em 2008. Acho que foi uma grande pena ele não ter vencido aquele campeonato”, lembrou Symonds sobre o título perdido na última curva para o britânico Lewis Hamilton, à época uma jovem promessa.

Também ao portal Autosport, Massa deixou claro suas intenções de permanecer na equipe britânica para uma quarta temporada. “Gosto muito de trabalhar para a Williams e ficarei feliz se puder continuar, caso contrário, preciso correr por um time de nível parecido”, esclareceu o veterano brasileiro de 35 anos.

Recentemente, Massa – que tem contrato apenas até o fim deste ano – vem sofrendo com as especulações de que alguns pilotos estariam sendo cogitados na Williams para substituí-lo. Jenson Button, também veterano e campeão em 2009, vem sendo um dos nomes mais fortes para o posto.